Knurd Report #22

Participantes: Darkonix e Laivindil

knurd22s

(00:01:30-00:57:45) Jennifer Garner e Evanescence: Ecos de uma adolescência feliz
– Boteco on the rocks
– Demolidor e Elektra
– Tretas na industria de games
– Sasunaru

(00:57:45-02:08:04) The Doctor is scottish now: scottishes are cool
– Doctor Who

(02:08:04-02:50:05) Cowabunga motherfucker: Mercenários 4 reunirá desenhos esquecidos dos anos 80
– Tartarugas Ninja
– Lucy
– Mercenários 3
– The Raid 2: Berandal

(02:50:06-03:13:27) Peitos da Bayonetta: mais expressivos do que Joe Shimamura
– Bayonetta
– 009 Re:Cyborg

(03:13:27-03:51:33) Casa Atreides não dá certo no cinema: *piada envolvendo Harry Potter e uma varinha*
– Holy Mountain
– Jodorowski’s Dune
– Kill your Darlings

(03:51:33-04:30:24) Alguns se vão e outros se vêm: e a poupança Bamerindus continua numa boa
– True Blood
– Wilfred
– The Killing
– Halt and Catch Fire

(04:30:24-04:47:15) Livros expandindo universos: nenhum ator receberá residual
– Veronica Mars: A Thousand Dollar Tan Line
– World of Warcraft: War Crimes

Comunidade no VK: http://vk.com/theknurdproject
Email: alojcast@gmail.com

Músicas nesse programa:
Jack’s Mannequin – Meet Me At My Window
Angel Haze – Werkin’ Girls

  • Vinicius tomal

    Pena que não pude ir no boteco, também gosto do GoTR e Curitiba nem é tão longe, mas o simples fato de que não tenho amigos que topariam esse tipo de programa comigo já me brocha completamente. Enfim, é interessante ver o paralelo do que falaram aqui e na última edição do Games on the Rocks que saiu junto com a gravação do podcast, o Caio Corraine estava comentando justamente essa complicação do “estilo brasileiro de fazer podcast” e a escola do MRG e nerdcast, com muita vinheta, efeitos sonoros, e ligado no 220 o tempo todo, puro “programa da jovem pan”. Enquanto tem gente que prefere o estilo americano, mais cru e sem edição, sem todo esse estigma de engraçaralhismo que o nerdcast meio que impôs.

    Pois é, cada qual com o seu público. Mas espero que o novo projeto dos caras de certo, é sempre bom ouvir gente competente falando de certos assuntos. O jornalismo de games tem dessas coisas de ter muitos entusiastas e poucos profissionais de verdade, então faz falta algo com mais “calibre”

    Ainda com o pé atrás quanto a Dr. Who, ainda mais porque achei deep breath meio fraco no roteiro e passei as semanas seguintes tentando achar defeito nos episódios. Pena que Listen não entrou no Knurd, queria ouvir o ponto de vista de vocês, já que o episódio é tão moffatiano que não sei se é saudável gostar dele, mas pouco a pouco o Capaldi vai me vendendo o 12o, então acho que no final tudo vai dar certo.

    Desde que o Henrique Sampaio comentou sobre o documentário do Jodorowski eu fiquei de assistir, mas por falta de tempo não consegui. Saber que Holy Mountain é bom mesmo hoje em dia foi um bom empurrão para retomar esse projeto, talvez quando comentarem sobre El Topo eu já tenha algo a responder.

  • aud

    eu joguei bayonetta e gostei muito, mais me lembro vagamente da história, lembro que gostei pq tinhas umas partes muito viajadas que voce andava de moto, depois nave só que essa parte especifica era muito minigame, se não me engano a ultima batalha é meio cósmica e vc joga fora da terra, enfim eu me diverti muito, ela tm uma arma que é um chicote de rosas e outra patins de gelo, se transforma em animais, bom definitivamente assistirei o filme, eu super shipava ela com a rival que veste branco, mais isso é irrelevante.
    e bom p/ variar voces me fizeram ter vontade de assistir coisas, mais fato curioso busquei o primeiro filme the raid p/ download e aparentemente é o mesmo nome de um documentário sobre o world of warcraft, então se voce baixa por torrent mais não presta atenção no que está baixando surpresas sempre acontecem. bom to pensando em tentar assistir doctor de novo pq eu gosto muito do peter capaldi, e como vocês dizem que ele não ta tão doctor ainda, talvez esteja mais palatável p/ mim que não gostei de doctor who exatamente por não gostar do personnagem doctor, o que é meio estranho mas cada um é cada um, tem séries e personagens que não funcionam p/ todos e o doctor não funcionava p/ mim.
    opiniões impopulares a parte tenho uma espécie de indicação p/ vocês tem um filme desses de kung fu chamado chocolate, é tailandes acho e a principal é uma garota autista, acho que ela é retratada de uma forma meio estreotipada infelizmente mas é um filme de porrada e acho que o fato dela ser autista nesse caso foi só sabe uma justificativa aletória que eles arrumaram, não acredito que tenha um grande motivo por trás não, mas eu ainda não cheguei a assistir só vi algumas lutas pelo youtube mesmo então posso estar falando besteira, mais enfim se interessar assistam. a luta que eu vi era muito boa deu a entender que ela consegue copiar o estilo de luta das pessoas que lutam com ela é interessante no minimo.
    mudando de assunto fiquei com a sensação que o knurd foi meio diferente dessa vez, não sei se foi só impressão talvez pq voces não falaram muito de blockbusters e tokusatsus e tava me acostumando com esse formato já, probably that. aguardando muito voces voltarem a falar de night vale, muitas coisas aconteceram coisas incriveis, mais agora que essas coisas incriveis terminaram e to meio receosa se eles tem ou sempre tiveram um plano maior do que só spooky, queer, weird, wonderful and magical things… que não é ‘só’ mais eles montaram um mundo variado exclusivo amplo e quase a parte ou distante do nosso que na verdade não é tão distante assim e enfim é maravilhoso…

    explicar night vale é dificil principalmente p/ pessoas desarticuladas como eu, mais enfim continua maravilhoso e agora tem ainda mais potencial do que antes, mas pq to falando de night vale, ah é quando voces disseram que podcasts não dão dinheiro eu lembrei de night vale, é uma proposta meio diferente mais acho que eles tão indo muito bem financeiramente tão ate fazendo tour europeia e tal, mais acho que voces se referiam a outro tipo de programa, probably.

  • Adriano Beidacki

    Mais um Knurd gigante que baixo bem tranquilo!