JCast #171

Rant: Kamen Rider Wizard, Doctor Who e…Polêmica!
Review: Azumanga Daioh e Yotsuba&!
Participantes: Darkonix e Laivindil

Hoje eu vou fazer uma introdução metalinguistica. Vou tentar elaborar floreios verbais e construções super criativas que deixarão o leitor boquiaberto com as minhas habilidades literárias. Vou ser irônico, ácido, inteligente, relevante, provocante. Vou reinventar a roda. Mas não hoje, no caso. Gastei toda a empolgação contando pra vocês a minha intenção e agora só consigo pensar em assuntos triviais. A estréia da Britney Spears no X Factor americano, por exemplo. O rosto dela é estranho, mas não tão estranho quanto os boobs da Christina Aguilera na competição de canto concorrente. Vocês querem aprender a fazer um prato vegano? Completamente livre de violência animal? Com a opção de acrescentar cachorro, pois eu pago pau pros coreanos? Anotem:

200g macarrão tipo espaguete
alho poró
noz moscada em pó
cominho em pó
repolho roxo em tiras
cenoura em tiras
molho shoyo
molho de pimenta

Aí você mistura tudo. Continue lendo “JCast #171”

JCast #170

Rant: Carnage, The Dark Knight Rises e um pouco de superhero talk
Goes Off: Brave
Participantes: Darkonix, Laivindil, Dri Sweetpepper e Petra Leão

As Olimpíadas acabaram e ficou aquele vazio. Não pela falta que os jogos farão, eu não assisti nenhum ainda. Mas por causa da ridiculamente curta participação das Spice Girls. Quatro minutos, uma música e meia. Cada uma foi para um lado diferente, de carro, quase não dá pra chamar de “reunião”. Tava mais pra “conjunto de apresentações solo”. Os escolhidos para representar o RJ nas próximas Olimpíadas foram sambistas e cantores de MPB. Isso é sectário demais. Londres mostrou toda a sua música e não há cidade mais musical que o RJ. Cadê o funk carioca? É um movimento social muito maior e com muito mais penetração social que a MPB, te garanto. E os estrangeiros não entendem o que “buceta” significa. O mundo não apontará seu dedo para nós. O bom de checar as Olimpíadas de trás pra frente, é que você pode ir no seu tracker favorito e catar os esportes que mais tem curiosidade de ver, ao invés de ficar preso nos cronogramas ditatoriais das emissoras. Eu posso por exemplo selecionar apenas as chinesas e as russas da ginástica olímpica. Ou baixar aquela corrida engraçada em que os atletas correm apertados para chegar no banheiro. É um absurdo que gente ainda morra de fome no Brasil e dinheiro seja gasto com futilidades. Dois grandes eventos esportivos em sequência não vão colocar comida na barriga de crianças famintas que estão morrendo nesse momento. Nem diminuirá nosso abismo social. Nem legalizará a maconha. Nem exterminará a banda Fake Number. Está na hora de parar de cuidar da imagem e cuidar do conteúdo. A não ser que queimado seja um esporte olímpico. Eu sempre sonhei em assistir a um esporte qualquer e de fato entender as regras. Não que eu entenda as do queimado. Mas dá tempo de aprender. Continue lendo “JCast #170”

JCast #169

Rant: Avenida Brasil, Revenge, House, Brave, Spider-Man
Preview: Temporada de Verão 2012
Participantes: Dri Sweetpepper, Yohan, Darkonix e Laivindil

Choque literário não é descobrir que Uma Cilada para Roger Rabbit foi baseado em um livro adulto, ou que o bestseller mommy’s porn do momento, 50 Shades of Grey é originalmente uma fanfic de Crepúsculo. Boquiaberto você fica quando descobre que John Grisham fez uma série de livros infanto-juvenis no estilo “nome próprio-subtítulo detalhando a aventura da vez”. Claro que ele não tocaria no sobrenatural e é por isso que Theodore Boone é um “Menino Advogado”. É engraçado, é como se o Boy George entrasse pra esse mercado e fizesse “Danny Tranny, The Girl Without a Cunt”. Cada autor fica na sua zona de conforto, embora eu deva lembrá-los que JK Rowling não é uma bruxa nem conviveu com essa raça. Estou prestes a lançar a série “Vaginas Horizontais: O Báculo do Consolo” e nem por isso sou ninfomaníaco ou conhecedor profundo da arte do sexo. Sabiam que o Kama Sutra não é um livro dedicado a sacanagem? Na verdade Kama é o prazer luxurioso que só pode ser alcançado através de Artha que fica muito difícil ser mantida se não houver prática responsável do Dharma. Mas nada disso importa, afinal a gente quer mesmo é Moksha. E chocolate. E que Once Upon a Time pare de forçar a barra e se atenha apenas aos contos de fadas. Aladdin não é um conto de fadas, muito menos Mulan. Eles estão descaradamente fugindo do tema e adaptando qualquer coisa que tenha sido tocada pela Disney. Não me espantaria se o Galinho Chicken Little desse uma aparecida. Mais absurdo que usar portão elétrico no modo manual. Abel Santa Cruz é que foi um cara feliz. Enquanto a Televisa for viciada em remakes, seu nome viverá sob os holofotes. Continue lendo “JCast #169”

JCast #168

Rant: Community, Prometheus, The New 52 e Dark Shadows
Papers: Propaganda na Segunda Guerra Mundial
Trend: Aniversário do Grande Terremoto de Nome Melodramático
Participantes: Darkonix e Laivindil

Quando você menos espera a gente volta. Quem eu quero enganar? Ninguém estava esperando mais. Por isso tentamos fazer uma edição com 5 horas de duração, pra poder compensar. E falhamos miseravelmente, parece que tem 20 minutos de podcast mais ou menos. Nesse tempo fora fizemos uma reciclagem mental e espiritual em um mosteiro acessível somente para aqueles de coração puro (a gente hackeou a segurança) e aprendemos a ser sucintos. Tudo bem que nessa era da pressa, em que seus sentimentos têm que ser jogados ao vento em 140 caracteres ou menos tornando assim tudo muito mais superficial, tornando a punchline mais importante do que a mensagem, tudo o que nós não precisamos ser é sucintos. Nós temos a chance de falar e falar e falar sem parar e não estamos presos a nenhuma restrição interna ou externa. Então eu digo foda-se o mosteiro (não, tipo, é um exagero para fins dramáticos, eu não quero que o mosteiro se foda, aliás, a gente nem esteve lá de verdade) e vamos simplesmente falar o que der na telha. A gente vai ofender (mais) muita gente no processo, mas palavras não têm poder. Elas não ficam gravadas no éter e germinam idéias que se tornam atos. Isso é alarmista demais. Deu medão hein. Melhor só calar a boca e assistir anime. Continue lendo “JCast #168”

JCast #167

Rant: God Bless America, Vingadores e Game of Thrones
Preview: Hyouka e AKB0048
Review: Digimon Xros Wars
Participantes: Darkonix, Laivindil e Yohan

Tem um cara que foi no Programa do Jô dar uma entrevista sobre aquecimento global. Ele é desses que dizem que tudo não passa de sensacionalismo e que a situação do planeta não está tão ruim assim. Esse vídeo caiu no youtube e se espalhou. Todos assistiram e compartilharam no facebook. Eu não tenho problema com esse cara em particular, ou com os defensores de seu ponto de vista. Mas é engraçado como as pessoas se apegaram a ele como se fosse uma bóia em alto mar. Todo mundo dizendo o dia todo que você é uma má pessoa por fumar, usar gasolina, jogar papel de bala no chão, ficar duas horas no chuveiro. Mudar hábitos é tão difícil. O alívio que dá quando um cara desses vem com toda a propriedade e sabedoria científica do mundo dizer que nada disso destruirá o mundo não tem preço. Tudo bem que eu não governo um país nem sou dono de uma usina e que a única coisa que me pedem é jogar o lixo no lixo. Eu não quero ser higiênico nem educado e é bom saber que o planeta não agonizará por causa disso. Vou até mandar hatemail pro Al Gore. Continue lendo “JCast #167”

JCast #166

Rant: John Carter (de Marte)
Preview: Temporada de Inverno 2012
Participantes: Darkonix, Laivindil e Yohan

Já dizia o poeta: “Tenho várias coisas para fazer durante o dia, e a primeira delas é descobrir um jeito de não precisar fazer as demais”. Não, ficou meio poluído isso e pouco claro. Ok, já dizia o poeta: “Tenho dezenas de coisas que precisam ser feitas, e a principal é arrumar uma forma de não fazê-las”. Sem música, sem sentimento. Vamos lá: “Tenho muitas coisas para fazer hoje, e a primeira delas é arranjar um jeito de não fazer as outras”. Viu? Isso se chama persistência. E vergonha na cara pra abrir a revista e ler a citação tal qual foi publicada. Sim, revista e papel, cheirinho de impressão. Ecologicamente incorreto mas nostalgicamente aceitável. Ainda mais se a revista trouxer tão sábias palavras. É como se a árvore estivesse destinada a servir de veículo para que essa mensagem tocasse os corações de pessoas em todo canto do país. Tão emocionado me encontro, que até esqueço os absurdos, como a fome, a guerra, a presença de vampiros na novela Rebelde BR e nosso político chamado Sandes Júnior. Menciono “político” apenas, pois não sei exatamente qual cargo ele ocupa. Pode ser um deputado, ou senador. Google me diria, mas eu estou muito ligado ao papel, hoje. E na revistinha que jaz a meu lado, com suas páginas levemente dobradas na ponta, nada é mencionado acerca do nosso hilário congressista. Acho que também existe um político chamado Hilário, aliás. Tais nomes não existem mais. Nenhum bebê se chama Arlindo. Continue lendo “JCast #166”

JCast #165

Rant: Jogos Vorazes, Sétima Temporada de Doctor Who, Survivor e mais
Review: Kaizoku Sentai Gokaiger – Parte 1
Preview: Tokumei Sentai Go-Busters – Parte 1
Review: Kaizoku Sentai Gokaiger – Parte 2
Participantes: Darkonix, Laivindil, Dri Sweetpepper, Cristiano, Juba-kun e Raphael Soma

As pessoas morrendo de fome, como de costume, e cada vez que ligo no telejornal alguém me diz que o governo está votando alguma coisa relacionada com a copa do mundo. Daí paramos e pensamos: isso é só futebol.Não tem que levar meses de discussões, não tem que gerar tantos milhões em investimento, não tem que rolar corrupção. Certo? Afinal, eu amo peteca e não vejo nenhum país parar por causa desse tão subestimado esporte. Então eu percebo que o exemplo da peteca foi clichê e no mínimo preguiçoso. Só o fato de escolher peteca pra servir de contraponto ao futebol já mostra que, mesmo na minha cabeça, bater na bundinha acolchoada e cheia de penas é algo imbecil e inferior ao grande e hercúleo desafio de correr atrás de uma bola. Desesperado pelo medo de soar como uma imitação patética de Pedro Bial e Arnaldo Jabor, dou-me conta que perdi totalmente o ponto da conversa. E justamente para não perder mais tempo, puxarei o plug dessa discussão e entrarei em outra. Esqueçam essa intro. Vamos fingir que ela não aconteceu.

O tempo muda e desmuda toda hora, o céu fica nublado e você fica gripado, chove torrencialmente, gotas furiosas tamborilando no teto (fins poéticos, eu não moro numa casa de telha, só pra constar) e não faz frio. Incrível. Ano passado eu teria dito que meus agasalhos cheiravam a mofo e agora digo que eles desintegraram. Pó. Claro que essa intro está sendo pior ainda, pois em muitos estados do Brasil o frio vem constantemente e em alguns talvez ele nunca tenha ido embora. E do preconceito esportivo eu caio na segregação dos estados, comunicando-me apenas com as regiões ensolaradas do país, ignorando que as pessoas das regiões frias não só são dignas de minha atenção, como são extremamente mais bonitas. Ahn… eu acho melhor parar por aqui antes de maiores confrontos diplomáticos. Continue lendo “JCast #165”

JCast #164

Rant: Doctor Who na Cultura, Alcatraz, Black Rock Shooter e outras coisas que não recordo
Papers: Wabi Sabi
Participantes: Darkonx, Laivindil e Yohan

Faz tempo, meu povo, mas cá estamos. Ainda existimos e somos relevantes. Certo? Eu imagino que sim, mas ninguém telefonou pra saber como estávamos ou se estávamos vivos. Isso não foi muito legal da parte de vocês, ou foi? Não custaria nada perguntar, literalmente não custaria, temos um número 0800. Que eu não vou dizer qual é mais, isso seria estúpido. Passaria uma vibe de desespero. E somos orgulhosos, não precisamos de vocês. Afinal estamos upando podcasts apenas para lotar a internet de lixo, como pessoas fazem com bueiros e garrafas descartáveis. Queremos inundar a internet e acabar com o escoamento entulhando arquivos gigantes de áudio contendo nossas prepotentes opiniões sobre assuntos abstratos. Como o assunto de hoje. Então façam o download se quiserem mas depois upem de novo. Ajudem a propagar nosso plano maligno. Afinal de contas não precisamos da internet. Ela que morra. E isso não é uma manifestação de orgulho. Sim, a internet também anda sumida, ela não tem chegado junto, tá toda temperamental. Ela precisa de uma lição. Continue lendo “JCast #164”

JCast #163

Rant: O Fim da Internet e As Aventuras de Tintim
Preview: Temporada de Inverno 2012 – Parte 2
Participantes: Darkonix, Laivindil e Yohan

Ainda vale a pena viver. O mundo ficou mais difícil de suportar, você não mais resolve seus problemas com uma rápida pesquisa no Google e um link milagroso do Mediafire, mas alternativas vão surgindo aos poucos. A gente sempre se adapta enquanto os poderosos ignoram métodos tão simples que um resultado diferente do win-win seria impossível. Mas nós seres humanos somos assim, gostamos de complicar as coisas. Se não gostássemos não estaríamos com tanto ódio dessa caça às bruxas. Afinal de contas não é o fim do mundo de verdade, e sempre existirão livros, além de um suplemento limitado de mídias físicas caríssimas. Acorde cedo, dê bom dia pro sol e vá se dedicar a outras atividades interessantes, como cortar grama ou visitar a praia. Continue lendo “JCast #163”

JCast #162

Rant: Sherlock Holmes americano, Sherlock Holmes inglês, Sherlock Holmes brasileiro e o especial de natal de Doctor Who
Preview: Temporada de Inverno 2012 – Parte 1

Participantes: Darkonix, Laivindil e Yohan

Mais um preview. Se a SOPA passar, provavelmente o único episódio do Jcast que estará disponível é o que falamos de Paprika, já que é o único anime que vimos legalmente, EVER. Ah, tem Castelo Cagliostro também, mas ninguém está vigiando esse. Antigo demais. Nenhuma catástrofe natural provocou tanto impacto assim em nós. Essa “Internet Downfall” pode ser o fim do mundo como o conhecemos, o começo de uma Nova Ordem Mundial. Um mundo em que a única série que teremos pra assistir é aquela da Dercy Gonçalves. Ou então séries americanas atrasadas e dubladas na TV a cabo. Mas não temam. Nós sempre achamos um jeito. Somos as baratas que sobreviverão nesse apocalipse digital. E continuaremos pirateando anime, já que é o único jeito divertido de consumir esse troço. Continue lendo “JCast #162”

JCast #161

Review: Universo Rules
Participantes: Darkonix, Laivindil, Dri Sweetpepper e Tanko

Yaoi day. Dia de deixar seus preconceitos de lado e admitir que lá no fundo você também é um Ikemen na casa dos 20 anos, sem nenhuma grande preocupação financeira, que se envolve com mulheres mas de vez em quando tem uma relação tórrida e dramática com um cara. Ou que pelo menos você gosta de ler sobre isso. Ou então que você lê só pra comemorar a data, sem precisar ficar tremendo de medo de ter sua masculinidade reduzida depois da experiência, embora todos saibamos que é isso que invariavelmente acontece.Só por hoje, sem contar pra ninguém, você pode ler esse mangá e ouvir o JCast. Nós não vamos te julgar aqui. Note que essa introdução é direcionada aos ouvintes homens, héteros e gays, já que meninas em geral já estão babando de excitação e abrindo espaço em suas férteis mentes para elaborar doujins a nosso respeito. Infelizmente nós não gravamos mais sentados nos colos uns dos outros, então boa parte da fantasia cai por terra agora mesmo. Mas mantenham a ilusão, nós fazemos isso por vocês. All that jazz. Continue lendo “JCast #161”

JCast #160

Rant: Super Sentai, NerdPlayer e provavelmente mais alguma coisa
Goes Off: RPG
Participantes: Darkonix, Dri Sweetepper e Cristiano

O padrão de beleza masculino é o mesmo em todo o mundo. E é praticamente o mesmo em todas as épocas. Já o feminino muda completamente a cada década em cada país. Isso é injusto com quem gosta de mulheres. Quem gosta de homens pode apreciá-los em uma quantidade maior e com mais variedade. Não se pode apreciar qualquer modelo, atriz ou artista em geral da alemanha, por exemplo. Mas um galã alemão terá os atributos considerados ideais por todos os povos. Isso quer dizer que homens são repetitivos e mulheres são mais imprevisíveis. Homens têm beleza igual e feiúra igual. Já mulheres podem ser bonitas ou feias em milhões de formas diferentes. Ou então é tudo realmente uma grande injustiça, pois americanas têm o direito de não ter bunda. Você pode dizer na cara de uma gringa: You´re assless. Ela não vai se importar tanto. É só uma característica. Brasileiras não aceitariam isso tão bem. Seria preferível que falasse mal de seu caráter. Ou seja, é mais fácil ser feio ou bonito quando se é homem. Ou mais prático por assim dizer. Melhor cortar por aqui, pois já esqueci qual era meu propósito inicial ao começar a discussão. Continue lendo “JCast #160”

JCast #159

Rant: DC Universe Online, MMOs, Trabalho, BBC, a Tia do Yohan e o Resultado da Promoção!
Review: MD Geist II – Death Force
Participantes: Darkonix, Laivindil, Luan e Yohan

Vamos fazer algo diferente nessa introdução. Chega de comentários aleatórios sobre absolutamente nada. Vamos nos focar em um tema que não seja off-topic. Vamos falar de coisas nipônicas. Vamos postar a tradução do hino, encontrada via Google: “Possa seu reinado; Continuar por mil, oito mil anos; Até que seixos; Cresçam nos penhascos;Cobertos de musgo verde-claro.” Isso foi frustrante. É curto demais. Poderia então voltar pra raiz off-topic deste parágrafo e completar com um hino de outro país. Do Brasil, por exemplo. É belíssimo e ninguém conhece. Mas não farei isso, mantenho minhas promessas. Não vou divagar. “Laranja da China, Laranja da China, Laranja da Chinaaaa… Limão doce, abacate e tangerinaa”. É, não deu. Continue lendo “JCast #159”

JCast #158

Rant: Chapolin, Pablo Villaça, Podcast do Cinema em Cena, Reality Shows e mais um monte de coisa
Review: Redline
Participantes: Darkonix, Laivindil e Luan

Asiáticos são amarelos e indianos são dourados. Uma dessas afirmativas é mentirosa. Dois integrantes do JCast discordam em uma delas e concordam na outra. E você amigo leitor/ouvinte/hater/sujeito-de-baixa-auto-estima-que-só-ouve-jcast-pois-se-acha-burro-demais-pra-ouvir-nerdcast? O que você pensa a respeito? Questões polêmicas sempre são abordadas de forma cautelosa no podcast e não é pra menos. Vai que nossos ouvintes pensam demais e acabam chegando a conclusões que potencialmente causem a distorção completa das coisas como elas são? Tudo o que não precisamos nesse momento é de uma nova Ordem. Imprevisível demais. Já estamos acostumados com os detalhes da natureza. Peixes nadam, aves voam. Comediantes brasileiros que não são a Dani Calabresa não têm graça. Aceitar o mundo como ele é. Esse é o caminho. Só assim poderemos nos acomodar em berço esplêndido. Está no nosso DNA brasileiro, eternizado no hino. Deitados eternamente e assistindo anime. Me parece um futuro promissor. Continue lendo “JCast #158”

JCast #157

Rant: Five Hundred Miles, Marcelo Del Greco e o trabalho porco da JBC
Review: Gohou Drug
Participantes: Darkonix e Dri Sweetpepper

Jota Cast chegando na parada. Ou como diria um hispânico metendo portunhol, Xota Cast chegandú. Viva Forever é o clipe mais triste das Spice Girls, depois de Wannabe. Sim, Wannabe é muito triste, apesar de festivo. Você lembra de uma época mais simples, quando as Spice Girls não eram gordas, nem donas-de-casa de luxo. Sem contar que o clipe em si é perturbador. Elas invadem uma festa cheia de velhos estranhos, e você se dá conta de que será um deles em breve. Pior, se dá conta que as garotas da banda já estão praticamente lá. Pior, se dá conta de que café com coca-cola não deixa você acordado como quando tinha 9 anos e queria muito ver Dançando na Chuva no Corujão, já que nenhuma locadora tinha o maldito VHS e “baixar na internet” tinha o mesmo significado de “Fazer a giripoca piar”. O Google me disse que é “giripoca”, e não “geripoca” ou “jeripoca”. O google também me disse que… opaacabouotempoagentesevêamanhãnessemesmohorário Continue lendo “JCast #157”