JCast #175

Papers: Lendas Urbanas

Participantes: Darkonix e Laivindil

Eis que as nuvens se abrem e ao som de trombetas o Jcast se manifesta novamente. E todos gozam em júbilo. Mulheres gozam mais, homens esperam um pouco. Dizem que Lésbicas possuem as melhores relações sexuais ever, pois podem transar teoricamente pra sempre. Um clímax se sucede ao outro num loop sexual infinito. Se todos nós buscamos prazer e se a natureza é sábia, então o mundo passaria a ser povoado apenas por lésbicas. Todas elas se proporcionando prazer e se reproduzindo espermaless. Eu descrevi um ótimo futuro distópico aqui, poderia ser um anime moe, um novo filme do Terrence Malick ou um clipe da Lady Gaga. Qualquer um desses funcionaria pra mim, o que eu preciso é de uma oportunidade. Oportunidades estão cada vez mais raras nesse mundo. Não é nem pelos 20 centavos, é pelo fim do sistema de popularidade tosco que estraga as bandas pop japonesas. Você é fã da banda por causa de dois ou três integrantes. E o maldito empresário resolve que agora esses três ficarão em segundo plano, só fazendo carão. Eles também precisam de uma chance pra brilhar. E são tão mais originais que os coreanos. Coreanos e seus malditos fãs brasileiros que acham que podem ser Ulzzang. Existe toda uma arte por trás da duck face coreana, você não pode imitar com seus traços brasileiros pesados, pele oleosa e espinhenta, além de contas a pagar no fim do mês. Tenho medo dessa geração, quando chegar na fase de revisitar suas vergonhas alheias passadas. Mind you, eu tenho algumas fotos toscas no orkut. Mas hoje em dia as redes sociais e os telefones com câmera transformaram os jovens em narcisistas sem noção, que pensam ter alguma opinião sobre alguma coisa. Isso pode dar uma boa tese de mestrado. Ou um filme do Terrence Malick, ou um clipe da Lady Gaga. E por falar em Gaga, eu queria que as lésbicas dominassem o mundo. E que a Dilma saísse logo do armário.

(00:01:17-01:29:03) Papers: Lendas Urbanas

Lenda Urbana é o melhor filme do mundo, depois de Pânico. Era de ouro do terror adolescente de assassinos mascarados cuja identidade era revelada no final para a surpresa de todos. E digo que esse filme mereceria um remake japonês usando apenas as lendas mencionadas por nós nesse bloco. Camisolas sujas, cabelos negros, muita lição de moral pra deixar os japinhas com medo de ir na esquina. O que é odd, considerando que nós sempre nos espantamos com o desprendimento que japoneses têm pelos seus filhos, Yotsuba que o diga. Ou talvez isso explique tudo: eles não fazem merda por medo de algum espírito maldoso e self-righteous. Anyway, aqui veremos de tudo um pouco, a saber, bonecas cabeludas, comerciais amaldiçoados e alguma coisa envolvendo calcinhas. Eu acho, quase certeza. Impossível não mencionar calcinhas. Prepare-se para se assustar e fascinar com as tórridas e bizarras lendas urbanas japonesas.

Links no post:
OIE
Briga de Teke Teke
Quadrinhos coreanos assustadores
Kleenex do capeta

Acompanhem a gente por aqui também:
Grand Guignol
@JCastBlog
@GranGui
@KnurdReport

Músicas nesse programa:
Kinniku Shoujo Tai – Odoru Akachan Ningen
Kinniku Shoujo Tai – Norman Bates ’09

JCast #168

Rant: Community, Prometheus, The New 52 e Dark Shadows
Papers: Propaganda na Segunda Guerra Mundial
Trend: Aniversário do Grande Terremoto de Nome Melodramático
Participantes: Darkonix e Laivindil

Quando você menos espera a gente volta. Quem eu quero enganar? Ninguém estava esperando mais. Por isso tentamos fazer uma edição com 5 horas de duração, pra poder compensar. E falhamos miseravelmente, parece que tem 20 minutos de podcast mais ou menos. Nesse tempo fora fizemos uma reciclagem mental e espiritual em um mosteiro acessível somente para aqueles de coração puro (a gente hackeou a segurança) e aprendemos a ser sucintos. Tudo bem que nessa era da pressa, em que seus sentimentos têm que ser jogados ao vento em 140 caracteres ou menos tornando assim tudo muito mais superficial, tornando a punchline mais importante do que a mensagem, tudo o que nós não precisamos ser é sucintos. Nós temos a chance de falar e falar e falar sem parar e não estamos presos a nenhuma restrição interna ou externa. Então eu digo foda-se o mosteiro (não, tipo, é um exagero para fins dramáticos, eu não quero que o mosteiro se foda, aliás, a gente nem esteve lá de verdade) e vamos simplesmente falar o que der na telha. A gente vai ofender (mais) muita gente no processo, mas palavras não têm poder. Elas não ficam gravadas no éter e germinam idéias que se tornam atos. Isso é alarmista demais. Deu medão hein. Melhor só calar a boca e assistir anime. Continue lendo “JCast #168”

JCast #164

Rant: Doctor Who na Cultura, Alcatraz, Black Rock Shooter e outras coisas que não recordo
Papers: Wabi Sabi
Participantes: Darkonx, Laivindil e Yohan

Faz tempo, meu povo, mas cá estamos. Ainda existimos e somos relevantes. Certo? Eu imagino que sim, mas ninguém telefonou pra saber como estávamos ou se estávamos vivos. Isso não foi muito legal da parte de vocês, ou foi? Não custaria nada perguntar, literalmente não custaria, temos um número 0800. Que eu não vou dizer qual é mais, isso seria estúpido. Passaria uma vibe de desespero. E somos orgulhosos, não precisamos de vocês. Afinal estamos upando podcasts apenas para lotar a internet de lixo, como pessoas fazem com bueiros e garrafas descartáveis. Queremos inundar a internet e acabar com o escoamento entulhando arquivos gigantes de áudio contendo nossas prepotentes opiniões sobre assuntos abstratos. Como o assunto de hoje. Então façam o download se quiserem mas depois upem de novo. Ajudem a propagar nosso plano maligno. Afinal de contas não precisamos da internet. Ela que morra. E isso não é uma manifestação de orgulho. Sim, a internet também anda sumida, ela não tem chegado junto, tá toda temperamental. Ela precisa de uma lição. Continue lendo “JCast #164”

JCast #153

Rant: Doctor Who clássico e precisamos de dinheiro!
Papers: Ayumi Hamasaki

Participantes: Darkonix, Laivindil, Ryo e Andore

Sentindo-se sem esperança? Perdido, gritando no escuro? Correndo em câmera lenta pela chuva? Trancando a porta do quarto e deslizando por ela até o chão, soluçante? Em posição fetal no cantinho do quarto? Não fique assim. O JCast chegou para… Oi? Ah, você está ótimo? Emprego tá ok, coração também? Saúde em dia? Jura? Nossa, esse podcast ficou bem irrelevante agora… acho que projetamos problemas pessoais em você e isso não é coisa de profissional. Esperamos então que se deprima conosco. Psicologia inversa. Melhor não dá pra ficar, vamos tentar piorar então. Muita felicidade faz mal pra pele. Você sorri demais e marca o rosto.

(00:00:57-00:18:06) Rant: Doctor Who clássico e precisamos de dinheiro!

Yohan desbrava a série clássica de Doctor Who, dando muito orgulho para nós que moldamos seu gosto. Como agradecimento, ele quer comercializar o JCast. Só que ninguém sabe como fazer isso. Eu proponho fazer um bazar de garagem. A gente coloca os pedacinhos dele a 50 centavos cada e depois gasta tudo no cinema.

E atenção! O Yohan decidiu a promoção do Summer Wars, ele será sorteado entre quem responder a nossa pesquisa. Então é isso: cliquem no link abaixo, respondam com sinceridade, e você corre o risco de ganhar o dvd duplo de Summer Wars da foto logo abaixo do link. Não, a Haruhi não está incluída no prêmio.

Pesquisa pra arrecadar fundos pro JCast

Anikencast #009 – Misoginia em Bakuman – Darkonix e Dri estão aqui

Trilha: Erasmo Carlos – Projeto Salva Terra

(00:19:01-01:24:30) Papers: Ayumi Hamasaki

Era pra ter sido sobre Ayumi, mas as coisas deram um pouco errado. O eco de Laivindil não estava presente direito. Darkonix liga mais pra cotação da Nasdaq do que pra Ayumi. Sendo assim, nossos bravos convidados Ryo e Andore tentaram fazer o possível dentro de um ambiente com tão pouco apoio. Por fim, Darkonix não se deu ao trabalho de apertar o rec e nossos convidados encerraram sua trabalhada palestra para um vácuo. Sim, pois Darkonix se ocupava em arrancar o rabo de uma lagartixa. Esperamos que entendam tais motivos inevitáveis que deixaram o bloco ligeiramente mais curto e ligeiramente mais sem final. Final nós nunca temos mesmo e raramente somos coerentes, então se tudo der certo ninguém vai perceber a diferença.

Trilha: Ayumi Hamasaki – A Complete

Então, né, gente, mandem emails para [email protected], e até semana que vem!

JCast #151

Rant: A gente reclamando da vida e falando mal de todo mundo
Trend: Renúncia de Naoto Kan
Papers: Holdouts

Participantes: Darkonix e Laivindil

Todo sábado tem JCast e o Jô no SBT começava às 23:30 em ponto. A novela das nove um dia se chamou das oito, embora começasse nove e meia e nunca ninguém se importou. Nós podemos então continuar saindo todo sábado-que-na-verdade-é-quarta… ou quinta. Tempo é relativo e JCast é transcendental. Sem mais delongas, esse episódio traz um pouco de discussão para enriquecer sua conversa no barzinho. Lógico que como resultado todos os seus amigos irão embora revirando os olhos. Só permanecerá do seu lado o mais inteligente, que obviamente é o mais chato. Diversão e informação não andam juntas. Nós aqui tentamos chegar perto do ideal. Ouça nossas duas horas de tentativas frustradas, logo abaixo.

(00:01:08-00:21:47) Rant: A gente reclamando da vida e falando mal de todo mundo

Disco ibiza loco mia; Moda ibiza loco mia; Loco ibiza loco mia; Sexo ibiza loco mia; Mar ibiza loco mia; Sol ibiza loco mia; Marcha ibiza loco mia; Crazy ibiza loco mia.

Trilha: Soko – Not Sokute

(00:22:40-00:42:09) Trend: Renúncia de Naoto Kan

Mãe!!! O Japão pode ter um novo chefe de estado a cada seis meses, por que nós temos que ficar com o mesmo há 12 anos? Essa não dá pra responder, mas dá uma invejinha, vai. Todo dia você pode acordar e descobrir que todo o parlamento se matou de vergonha ou fugiu pra Atlântida. E aí você tem todo um elenco novo. Na onda dos reality shows, espero algum que siga o primeiro ministro japonês na sua jornada de resignação. Aqui damos uma pincelada de leve nos acontecimentos políticos japoneses das últimas duas ou três semanas. Ignoramos completamente, pra ver se ia vingar. Até o fechamento dessa edição, nenhum político havia se jogado aos tubarões.

Trilha: Sambomaster – Utsukushiki Ningen no Hibi

(00:43:10-1:13:36) Papers: Holdouts

Imagina você ficar mais de 30 anos isolado do mundo, fazendo a mesma coisa? É, eu sei, é assim com todos, nem precisa imaginar. Mas os Holdouts aguentaram todas as intempéries naturais e permaneceram firmes em seu emprego. Nós às vezes reclamamos do nosso, mas pelo menos temos salário mensal, horário pré-definido e não faz parte de nossas funções matar filipinos. Bem, se faz parte das suas, me perdoe. Nada contra seu trabalho, eu não conheço nenhum filipino. Acompanhe a história de caras que eram pra ser heróis, se não fosse por alguns mal entendidos e munição que não acaba nunca.

Trilha: Salyu – S(o)un(d)beams

Então, né, gente, mandem emails para [email protected], e até semana que vem!