JCast #122

Rant: Deixe-me entrar, Tokusatsu e “nerds”
Papers: Márcio Reginnette e Sailor Moon em DVD no Brasil
Review: Kuragehime

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan e Márcio Reginnette

Semana cheia e JCast cheio para todos vocês. O episódio dessa semana está suculento e variado. No menu, protestos acalorados que não servem pra nada, um interessante bate-papo com um convidado especial e um review, que é basicamente o que fazemos sempre, mas está aqui pra dar aquele gostinho familiar e não alienar o “paladar auditivo” (OUCH) de nosso público. Essa expressão foi cunhada no âmago de meu ser, e faz muito sentido. Se pessoas de fato podem comer coisas pelos olhos, porque não pelos ouvidos? Comer informação pelos ouvidos: isso tem potencial. Enquanto tento miseravelmente introduzir esse podcast, acabo criando uma poesia de adolescente trevoso. Com um certo verniz, pode se tornar minha tese do mestrado de ciências ocultas e letras apagadas. E é melhor seguir em frente com isso antes que entregue na forma de piadinha sem graça uma idéia valiosa de verdade.

(00:01:28-00:21:57) Rant – Deixe-me entrar, Tokusatsu e “nerds”

De tanto falarmos sobre transgender kids nesse podcast, elas estão vindo até nós. Eu deixo claro aqui: já era fã de Deixe Ela Entrar antes mesmo de descobrir que o “Ela” foi “Ele”, duzentos anos atrás. Sem contar que essa nova versão americana não deixa tão implícito assim. Então antes que nos acusem de fazer propaganda transsexual infantil oculta, saibam que vimos o filme apenas por gostarmos muito de vampiros. E Vampiras. E vampirinhas. E Vampirinhas que na verdade são vampirinhos castrados. Ah, e claro que nosso raciocínio hoje está all over the place. Falamos sobre outros pontos relevantes na semana, como a incrível cobertura que um grande podcast fez sobre uma paixão particular nossa. Incrivelmente rasa e supérflua, mas o que vale são as risadas certo? Como o riso é emocional e social, basta ouvirmos alguém rir muito da própria piada que rimos junto. E no final do dia é isso que importa. Abre os poros. Faz um bem, menina.

JWave
R5 Central

PS: Não falamos de todos os pontos relevantes, lógico. Não encontrarão aqui nenhuma menção à crise política no Egito, mesmo porque só descobri que eles estão com problema ontem, assistindo Saturday Night Live.

Trilha: Ken Hirai – Fakin’ Pop

(00:22:29-00:56:27) Papers: Márcio Reginnette e Sailor Moon em DVD no Brasil

Márcio Reginnette, diretor da CD & DVD Factory nos concedeu essa entrevista para acalmar os ânimos dos fãs de anime de todo o Brasil. Para quem não sabe, a empresa supracitada lançará Sailor Moon S em DVD no Brasil, ou seja: todo mundo que adora especular sobre a situação do anime no país está em polvorosa. Eles não tinham assunto para alimentar suas especulações há uns cinco anos. E agora é pra valer! O produto está saindo do forno e tentamos perguntar tudo aquilo que você quer saber sobre o lançamento. Quase tudo. Queríamos mesmo é ter entrado num assunto que me corrói desde que assisti a primeira temporada de Sailor Moon na Manchete: Afinal, o cabelo da Serena é ou não é TOTALMENTE IMPOSSÍVEL DE SER FEITO NA VIDA REAL? Ele não faz sentido e me perturbou por muito tempo. Mais até do que a semelhança entre a Serena de cabelo solto e a Mina.

A pesquisa do SOS Sailor Moon citada por Márcio, com as vozes que ele tentará trazer caso ocorra uma redublagem.

Trilha: Sailor Moon – Memorial Song Box Disc 1

(00:56:58-01:34:32) Review: Kuragehime

Seguimos com nossos highlights da temporada passada. O que já se foi, você não percebeu, mas não pode perder. A escolhida essa semana foi Watashi wa Aguri Betty. EXCEPT NOT. A Princesa Água-Viva não é uma criação resgatada do Monteiro Lobato, nem a mais nova personagem das Princesas do Mar. É um anime feito pra divertir e pra pensar também. Uma jóia rara que você destrincha com a gente.

Trilha: Chatmonchy – Awa Come

Trilha: Sambomaster – Kimi no Kirei ni Kizuite Okure

Ufa, essa semana foi realmente cansativa! Bem, já sabem, o email é [email protected], na próxima semana deve rolar um bloquinho de feedback. Pra quem acompanha pela Kombo, nosso endereço é o www.jcast.com.br, com notícias (que se tornarão mais frequentes quando Laivindil e Yohan resolverem postar) e blog. Até semana que vem!

  • Ryo

    Adorei o podcast

    a entrevista muito bacana, os comentários sobre o nerdcast e como os temas japas são tratados e também o review

  • Tang

    Uma coisa que eu nunca vou entender é esse preconceito entre nerds. Parece que as pessoas pensam: "Posso ser um loser, mas quem tem o gosto X é pior do que eu". Façam o favor né?
    A entrevista foi interessante mas não senti muita confiança não. Tá certo que praticamente não temos mercado de animes, mas lançar dvd avulso com 3 episódios, de uma série antiga e começando pela metade não é o melhor dos incentivos. Em todo caso, boa sorte pra eles, pelo menos tem alguém tentando.
    E Kuragehime parece ser muito interessante, inclusive baixei a série quando acabou. Já assitir é outra história. =P

  • Noots

    Gostei muito desse episódio, sobretudo do ótimo review de uma serie que ainda não assisti. Vocês souberam a vender muito bem, e de forma divertida. Estou baixando o primeiro episódio nesse exato instante.

    Em relação a polêmica inicial, acho que você pegaram um pouco pesado; exageraram. "Essa discussão nunca vai pra frente no mainstream da internet " , uma frase um tanto o quanto preconceituosa para alguém que parece defender que todo o preconceito é burro, não?! O Rapaduracast teve uma ótima edição sobre Hayao Miyazak, respeitosa , com conteúdo e divertida, e eles também são Top mainstream. Sei que não é uma comparação cabível, mas creio que serve como exemplo. O nerdcast nunca falou sobre nada de forma seria , tanto que mesmo seus programas sobre Homem-aranha e X-men , que para eles são o que há, acabam sendo uma verdadeira bosta para qualquer um que entenda sobre os mesmo. Acho que vocês se focaram muito e com muita intensidade em algo que não tem tamanha relevância. Btw, dêem essa aula e façam esse cast sobre Tokusatsu; vou estar esperando.

    E caras, que entrevista bacana. Muito legal ver alguém com real propriedade falando sobre esse pobre mercado. Parabéns. Nunca fui fã de Sailor Moon, talvez por ser muito jovem e não ter pego o hype da serie. Assisti pouca coisa relacionada, e apenas no cartoon. Mas, sendo essa uma iniciativa importante, farei de tudo para comprar esses DVD's caso estejam dentro de meu orçamento de estagiário. E, talvez, mesmo que não estejam. rs

  • Rant épico, hein! Mais de 20 minutos!! Só a introdução do Jcast já é maior do que um episódio inteiro do MRG.
    Adoro vocês, caras, mas vou ter que discordar do Laivindil (OMG) nesse caso.

    Acredito que parte dos traços de personalidade que fazem com que uma pessoa adquira o "arquétipo" nerd são justamente o que faz tal pessoa ser tão sucetível ao controle de opinião. Por ser muitas vezes tímido, inseguro, focado e introspectivo, acreditar ter inteligência acima da média e repudiar o mainstream o nerd acaba se amparando em preceitos que são ditados por estes que tem uma opinião mais forte e demonstrando de forma acentuada o Comportamento de Rebanho. Isso parece revoltante, como é mesmo (principalmente para o Laivin, pelo jeito), mas é inevitável, nós apresentamos comportamento de rebanho é uma herança no comportamento humano, consequência por sermos animais sociais, como ovelhas ou cachorros.
    Andamos em bandos grandes e isso nos protege de predadores e nós seguimos esse bando, pois onde ele for vai haver alimento. Seu subconciente fica tranquilo quando você está seguindo no mesmo rumo que os outros no seu nicho, e se alarma quando você faz algo que tal nicho desaprovaria.

    Só o fato de você se declarar otaku já mostra que você está inserido em um nicho, falar que não ouve Jovem Nerd te insere em um outro grupo também… Falar que é cinéfilo, comunista, punk, palmerence, evangélico, emo, sonista, indie, vegetariano, esquerdista ou direitista, já é demonstrar comportamento de rebanho. Denominações como essas são totalmente desnecessárias, mas nós as tomamos do mesmo jeito e seguimos suas diretrizes fielmente, elas nos fazem nos sentir seguros.

    E eu sempre vou lutar pelo meu direito de odiar Crepúsculo.

  • Interessante,
    Quem comentou sobre o oferecimento para a Playarte foi eu… Ou seja, o cara está lendo mesmo os comentários por aí… Interessante!

    Legal o pod!

    Sandra Monte http://www.papodebudega.com

  • Poha, e que bom que vocês falaram de Kuragehime! Na minha opinião esse anime foi o absoluto ponto alto da última temporada. Tomara mesmo que role uma 2nd season porquê eu quero muito saber como termina a história…
    E eu não entendi o barato do "Clara! Tequila!" — fiquei o anime inteiro coçando a cabeça por causa disso. Achei que era alguma referência obscura e vocês iam explicar, mas vocês não entenderam também! ¬_¬

  • Interessante vocês comentarem sobre esse cast. Meu colega instigou pra mim ouvi, e eu odiei, mas após ouvir vocês percebi que como não conheço (a fundo) o JovemNerd, não posso chegar com pedras na mão. Preciso analizar melhor o contexto.

    Esse debate sobre o rótolo "nerd" é um assunto complicado, eu abandonei a alguns anos a bandeira de "otaku" por perceber que não me encaixo no Sentido Literal da Palavra e por um motivo maior que é fugir das pessoas que apareceram e se dizem "otakus"

    e NÃO odeio Crepúsculo. ( apenas minha opinião)

    Acho que quando maior o número de distribuidora melhor, o risco para eles deve ser alto, mas imagino que a Toei não joga para perder.

    Vi a abertura do Kuragehime o gostei muito, mas nem sabia que esse era o nomedo anime na época, prometi ver com a minha namorada como penitência por alguma coisa que não lembro, baixei pra ela, mas quando perguntei quando nos iamos assistir ela falou que já tinha terminado de ver. ¬ ¬

  • Peter

    Vou ser bem sincero de dizer que só tive interesse em escutar a parte sobre o Nerdcast, já que provavelmente sou um dos poucos sujeitos que tem interesse em coisas nerds que não gosta deles. Fiquei curioso para saber o que vocês falariam. Tenho que dar parabéns por vocês terem culhão de criticar o Nerdcast e também concordar com a parte sobre piadas sobre gays, mas, do resto, achei muita coisa da crítica desnecessária (uma delas, por exemplo, o Noots citou, e outro exemplo que eu posso citar é sobre "dar uma aula de como fazer podcast sobre tal tema"). Já vi podcasts americanos criticarem outros podcasts sem precisar dessa, digamos, "exaltação" toda (o AWO, por exemplo, que tem o pessoal que escreve para a Otaku Usa). Por favor não levem para o lado pessoal minha crítica.

  • Vocês estão cada vez mais de parabéns, Darko e Laivindil!!! Sério mesmo, cada edição parece q fica melhor, essa foi extremamente útil e suculenta!! Desceu bem q foi uma beleza!!! Já degusto JCast d olhos fechados!!

  • olá. primeiramente devo dizer que não sou um ouvinte de vcs e só escutei pelo assunto "nerdcast" . Ou melhor…não era. vou passar a ouví-los a partir de agora.

    Sobre o Nerdcast é aquilo: Ok, os caras tratam tudo com humor . Mas muitos assuntos(Leia-se aqueles do quais são fãs) conseguem passar muita informação mesmo com as piadinhas. não foi o caso desse episódio de Tokusatsu. o episódio deveria se chaar "Escrotizando(pra usar um termo deles mesmo) o tokusatsu.Sou da opinião que se não entende do assunto, não fale. O pobre Marcelo Salgado e o Fábio Yabu até tentaram levar a sério mas não conseguiram.

    sobre os outros comentários de vocês concordo em alguns pontos discordo de outros mas no geral foi uma ótima crítica.
    Vou procurar ouvir episódios antigos de vocês e também espero um Podcast sobre Tokusatsu .
    Abraços Wellington "Macgaren"

  • Tanko

    Olá meninos… Eu gostei muito deste cast "polêmico" entre muitas aspas. Vocês sabem que eu sou doida, louca, viciada em podcasts e ouço cerca de 50 programas regularmente…

    Embora eu AME o Nerdcast até hoje e seja grata por ter me apresentado este mundo maravilhoso que é a podosfera, muitas vezes me entristece que eles ajudem a perpetuar clichês, como o do machismo em podcasts, a falta de respeito para com os gays, e o desprezo pelos fãs de cultura japonesa.

    Nessas andanças por podcasts da vida, eu já ouvi um programa onde ditos nerds mandavam literalmente e repetidamente os otakus irem "tomar no c*". Reclamei sobre isso no twitter e o dono do cast sugeriu que eu fosse ir defender os otakus. Oras, e eu sou mulher de bater palma para maluco dançar? Eu entendo que tem otakus que fazem por merecer, mas como qualquer imbecil pode notar, há gente assim em qualquer segmento da sociedade.

    O pior é que não sinto raiva, já falei isso, me sinto triste. Os podcasts me fazem companhia pois não tenho colegas de trabalho e quando soltam estas batatadas é muito deprimente.

    Bom, no caso específico do programa de Tokusatsu, concordo que há podcasts mais interessantes e mais informativos, no entanto ele seguiu a linha "nostalgia Jovem Nerd" e o tema foi tratado da forma que tantos outros são. Foi ruim, claro, acho que um fã não ficaria realmente feliz. Mas não dá para comparar com a vergonha e covardia que é o episódio sobre animes, onde a intenção ao chamar uma menina de 12 anos (não importando quem ela seja) era a pior possível, era a de reduzir a cultura dos animes a uma modinha para pré-adolescentes. Juro que nunca consegui ouvir aquilo direito, dava agonia. Só conseguia pensar "Chamem alguém do seu tamanho!"

    Por isso sempre agradeço ao Jcast por seu respeito pelos fãs de shoujo, jousei e yaoi/bl, mulheres e homens. Lógico que o respeito deveria ser regra para quem quer ser respeitado, mas infelizmente não vemos muito isso acontecer por aí.

    O povo de eventos cada vez mais tem agido como um bando de marketeiros, os eventos em breve vão se tornar um novo canal animax (anime que é bom, nada!). Nesse caso, a culpa não é do Jovem Nerd, eles vão onde são chamado$, faz parte do negócio. Assim que eu conseguir regularizar a situação do meu podcast e dar uma renovada no site, vou partir para meu projeto de levar yaoi aos eventos.

    E, em tempo, se eu organizasse eventos de anime, me desculpe o Jovem Nerd, mas eles estariam bem no fim da minha lista. Talvez por isso esteja claro o motivo pelo qual meu bolso está sempre vazio.

  • Irmão do Laivindil

    Rapaduracast é uma bosta. Nercast é uma bosta. Jcast tem que ter a Yuming de volta.
    E é isso.

  • Pingback: Mais de Oito Mil Interview – Mara entrevista Marcio Reginette, o cara da CD & DVD Factory « Mais de Oito Mil()

  • Thiago WOLF

    Parabéns ao J-cast por levar pessoas da área com experiência real no assunto desse difícil mercado-mal-aproveitado de animes no Brasil, parabéns mesmo…

    Falar dos outros sempre geram polêmicas… mas creio que é preciso entender o contexto.
    Pra quem conhece vocês, como eu por exemplo, entende que quando vcs o fazem é porque existe um motivo real.
    Sinceramente eu partilho do ponto que se for falar de algo tão gigante que é o mercado de anime e mangá no Japão, se for pra escrachar fazer piadinhas clichês e forçadas sobre algo tão significativo é melhor nem abrir a boca.

    Eu não odeio os caras do Nerdcast, mas não ouço porque sempre os achei muito “posers” e esse achismo típico de americanismos de se julgar os bonzões em tudo me irrita muito.
    Mas o problema é que eles realmente formam opinião e influenciam muita gente… Junto com essas “opiniões” estão os preconceitos e as piadinhas toscas de mal gosto que eles amam fazer. E continuam se achando os melhores.

    Um exemplo disso é que tenho alguns amigos que ouvem e acabaram por absorver esse ódio a animes e todo o resto. O estranho é que eles vão a eventos de anime, mesmo odiando. Tudo bem que os eventos estão cada vez mais negócio e menos cultura, mas não deixa de ser paradoxal. Acho ridículo porque os discípulos do dito Podcast não tem opinião própria e fazem propaganda desses conceitos prontos e fajutos propagados por meia dúzia de pessoas.

  • Pingback: JWave #34: My Boss My Hero | JWave()