JCast #126

Rant: DD Hokuto no Ken e Justin Bieber
Review: Puni Puni Poemi
Review: Okuribito
Review: Puni Puni Poemi

Participantes: Darkonix e Laivindil

Brrrrr. Friozinho começando aqui na região sudeste, nem vou falar muito senão o capeta escuta e manda o calor voltar. Não sei quanto ao resto do país, mas aqui estávamos precisando que nosso querio Hórus nos desse uma folga. E aí galera, tudo sussa com vocês? Final de semana de carnaval, olha só. Pra nós do Jcast isso significa mais tempo para colocar nosso entretenimento em dia. Entre guilty pleasures, séries e livros que estão na espera há muito tempo e estréias surpreendentes, sempre sobra tempo pra gravar mais um episódio do podcast. Percebam como em nenhum momento eu mencionei “trabalho”. Essa é aquela parte chata e inevitável, como o sono, que existe e está lá, mas não merece ser mencionada. Estamos trabalhando em revolucionárias formas de eliminar tais obstáculos. Ambos. Queria muito que café com coca-cola também ajudasse na questão do “trabalho”. Enquanto fazemos testes a esse respeito, ouçam-nos ir mais a fundo na cultura japonesa do que nenhum homem bem resolvido jamais foi.

(00:00:30-00:16:02) Rant: DD Hokuto no Ken e Justin Bieber

Justin Bieber cortou o cabelo, não ficou com cara de homenzinho mas valeu a tentativa. Uma coisa porém ele conseguiu: perdeu 80.000 seguidores no twitter.E não deve ser só mulher, tenho que dizer: e todos os playboys que mantinham um corte idêntico, que assumiram o secador e a chapinha como partes de seu masculino dia-a-dia, o que eles farão agora que tal corte vai sair de moda? E todos aqueles que pegaram tiques nervosos jogando seus cabelos para o lado? Eles farão o movimento, mas a franja não estará mais lá. Enquanto tentando decifrar como ficará o futuro da humanidade depois disso, podemos nos distrair com Hokuto no Ken em flash. Melhor do que o filme gringo, pelo menos.

Anikencast #005 – Otaku no Video

Trilha: The Cardigans – Been it/Lovefool

(00:16:49-00:38:33) Review: Puni Puni Poemi

Esse OVA não causa epilepsia como o episódio do Pokemon ou o clipe novo do Kanye West, mas é elétrico o suficiente. Fizemos uma experiência aqui: será que conseguiríamos falar mais rápido do que a Poemi? Infelizmente não deu muito certo. Foi tentado então um truque de edição, mas ficamos com medo de que todos pensassem que o Alvin estava apresentando o podcast. Oficializamos nossa derrota: Poemi consegue soltar mais referências por minuto do que nossos hosts jamais serão capazes de fazer. Isso é humilhante. No mais, embarque conosco nesse incrível e divertido anime.

Trilha: Puni Puni Poemi – Absolute Last CD

(00:38:58-01:06:15) Review: Okuribito

Oscars foram entregues semana passada e muita gente esquece que recentemente o Japão levou um pra casa. Summer Wars não conseguiu sua indicação esse ano, então o filme de 2008, A Partida aqui no Brasil, continua dono invicto do título. Tema um pouco macabro né. Corpses. Pela primeira vez falamos de cadáveres de verdade aqui. Não os que foram violentamente destroçados, ou os que ainda estão andando por aí. São corpos. De gente. Gente Japonesa. E que estão mortos mesmo, sem possibilidade de retorno. Não tem necromancer aqui não, meu velho. Por isso mesmo somos forçados a pensar nela. Ah vamos, vocês sabem. Não quero dizer… Ok…Na senhora Morte. Quem está de bem com ela levanta a mão. Enquanto isso, vamos analisar se essa singela produção mereceu ou não a estatueta.

Trilha: Okuribito Original Soundtrack

(01:06:58-01:21:50) Review: Puni Puni Poemi

Quando uma paródia cruza a linha do mal gosto? O que você curtia aos 13 anos sobrevive ao teste do tempo? Esse OVA protagonizado pela Loli mais faladeira do universo é um bom começo para analisar tais questões. Infelizmente não conseguimos falar tanto como a Poemi, mas pelo menos falamos coisas mais interessantes. Admitam: vocês trocariam qualquer piada japonesa sem graça do início do século por apenas uma de nossas confissões constrangedoras.

Trilha: Puni Puni Poemi – Absolute Last CD

Vocês sabem o que carnaval significa? Família toda na praia e o Darko sozinho em casa, consumindo entretenimento e curtindo o silêncio e a total ausência de seres humanos! Fiquem felizes por mim, mandem emails para o [email protected], e visite o www.jcast.com.br, caso você esteja nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

  • Saudações

    Mais um ótimo "JCast", sem sombra de dúvidas.

    Realmente, "Puni Puni Poemi" é uma sátira simples, porém divertida. Também concordo que, hoje em dia, à exemplos de sátiras em anime muito melhores. Mas, se partimos do princípio que "Puni Puni Poemi" pode ser considerada um tipo de marco no gênero, então está tudo perdoado, não é mesmo?

    Parabéns pelo trabalho.

    Até mais!

  • Tang

    Muito interessante o review bipolar sobre Puni Puni Poemi. Já tinha o anime baixado aqui e assisti antes de ouvir o cast. Só concordo com a primeira parte da análise. =P

    • Tang

      Completando o comentário para falar de Excel Saga:
      No primeiro episódio de Poemi tem uma aparição do autor Rikdo Koshi, que é parceiro do Nabeshin no anime de Excel. O mangá infelizmente está "ilegível" no momento, só tem scans de 4 vols. e os números 5,7 e 8 estão esgotados. A única esperança que resta é a Viz republicar esses volumes da edição americana agora que anunciaram o fim da série.

  • Muito bom o cast.
    Estou até baixando novamente puni puni, deu vontade de ver.
    Aqui tem um top 5 coisas zuadas do live action do hokuto no ken http://thatguywiththeglasses.com/bt/benzaie/top-5

  • @lenska

    Ah faz tempo que vocês não faziam alguma maluquice hahah

  • Ananias

    Por um momento achei que estava ficando maluco, hahaha muito bom esse review.

  • danielcs16

    Esse review bipolar ficou bem engraçado mesmo. Dei uma olhada nas imagens de Puni Puni e analisando a personalidade de vocês o primeiro review com certeza é o verdadeiro.

  • Eu consideraria Poemi como parte do Superflat. Afinal, ele é literalmente um soco na fuça da cultura otaku, bem ao estilo do movimento. Talvez ele não tenha o mesmo impacto agora já que as linhas estão mais difusas atualmente. Não é necessário o NabeShin se proclamar como parte do movimento, basta que seu trabalho se encaixe nessas características. Eu somaria FLCL (do babaca do Hideaki Anno) a essa conta, ainda mais por serem quase da mesma época.

    Mas é assim mesmo. A fronteira entre descontrução e Superflat é cada vez mais tênue atualmente, que até é difícil determinar isso nas obras de agora. Espero pelo próximo podcast!

  • Ananias

    Aff que ridículo esse review duplo de Puni Puni Poemi

  • Darko e Laivin' cantando o tema das Guerreiras Mágicas em dueto… ¬ ¬

    Detestei Puni Puni. Achei uma porcaria exploradora de fanservice com humor fraco (não por falta de tentativa por que é muito exagerado) e personagens ridículos e sem profundidade ou sentido. Consigo entender o mérito da meta-linguística e do fato de que estão parodiando o próprio gênero da paródia, mas quando um anime de comédia não é engraçado ele não tem qualidade. Não tem jeito.

    Mas eu vou ter que agradecer muito vocês por terem me apresentado Okuribito!
    Eu, inicialmente, achei que seria outro Lily Chou-Chou da vida (ainda não me conformo o quão chato foi aquele filme). Mas baixei mesmo assim para assistir antes de ouvir o cast. Dei um voto de confiança e *Mau Saldanha mode on*, meo deos! Que filme maravilhoso!
    Adorei a maneira como os vários sentidos da tristeza foram tratados, a mudança, a pobreza, a vergonha, a perda, a nostalgia — todos trazendo uma janela de oportunidade, mas carentes de diferentes rituais.
    O polvo morto-vivo no início do filme simbolizando a falta de experiência do casal jovem, que não entendia que polvos ainda têm espasmos depois de mortos. A maneira como, ao jogar o polvo no rio, mesmo sem saber o Daigo já estava fazendo um ritual de partida. A quebra de toda aquela cena, da chegada da esposa alegre até o casal triste na beirada do rio, é fantástica.
    Também a parte em que o Daigo cobre o mestre dele de maneira ritualista com um casaco também foi muito efetiva mostrando como ele trata as pessoas mortas com o mesmo respeito que trata os mais velhos.
    Na minha opinião o filme se arrasta nos primeiros atos, eu até senti vontade de desligar, mas ele te cativa a partir de certo ponto e o resto passa até rápido de mais.
    Até agora só curti dois filmes Live Action japoneses: esse e Battle Royale (que necessita urgente de um cast!).

    Puni Puni Poemi também foi muito bom! Tô brincando, achei Puni Puni uma merda mesmo.

  • Ainda não entendi porque falaram duas vezes de Puni Puni Poemi 😀

  • Aff que ridículo esse review duplo de Puni Puni Poemi [2]
    É sério. Eu faz tempo q baixo JCast sem nem me importar com o assunto, mas depois dessa vou dar sempre uma olhada nos quadros da edição pra não cair nessa "pegadinha" d novo e perder tempo novamente.

  • Putz, que anime maluco xD

  • otimo programa, deu pra entender bem do que se trata o anime,e o review do filme tb ta sensacional. O podcast de vcs vai servir de referencia pra quando o valhallacast voltar! abraços!

  • jones

    Porq vcs falam bem de Puni Puni poemi no primeiro review e depois metem o pau no segundo, realmente não da pra entender. Acho que vcs tem que construir apenas uma opinião, não fazer isso q fizeram enste cast. Sem mais…