JCast #170

Rant: Carnage, The Dark Knight Rises e um pouco de superhero talk
Goes Off: Brave
Participantes: Darkonix, Laivindil, Dri Sweetpepper e Petra Leão

As Olimpíadas acabaram e ficou aquele vazio. Não pela falta que os jogos farão, eu não assisti nenhum ainda. Mas por causa da ridiculamente curta participação das Spice Girls. Quatro minutos, uma música e meia. Cada uma foi para um lado diferente, de carro, quase não dá pra chamar de “reunião”. Tava mais pra “conjunto de apresentações solo”. Os escolhidos para representar o RJ nas próximas Olimpíadas foram sambistas e cantores de MPB. Isso é sectário demais. Londres mostrou toda a sua música e não há cidade mais musical que o RJ. Cadê o funk carioca? É um movimento social muito maior e com muito mais penetração social que a MPB, te garanto. E os estrangeiros não entendem o que “buceta” significa. O mundo não apontará seu dedo para nós. O bom de checar as Olimpíadas de trás pra frente, é que você pode ir no seu tracker favorito e catar os esportes que mais tem curiosidade de ver, ao invés de ficar preso nos cronogramas ditatoriais das emissoras. Eu posso por exemplo selecionar apenas as chinesas e as russas da ginástica olímpica. Ou baixar aquela corrida engraçada em que os atletas correm apertados para chegar no banheiro. É um absurdo que gente ainda morra de fome no Brasil e dinheiro seja gasto com futilidades. Dois grandes eventos esportivos em sequência não vão colocar comida na barriga de crianças famintas que estão morrendo nesse momento. Nem diminuirá nosso abismo social. Nem legalizará a maconha. Nem exterminará a banda Fake Number. Está na hora de parar de cuidar da imagem e cuidar do conteúdo. A não ser que queimado seja um esporte olímpico. Eu sempre sonhei em assistir a um esporte qualquer e de fato entender as regras. Não que eu entenda as do queimado. Mas dá tempo de aprender.

(00:01:25-00:43:23) Rant: Carnage, The Dark Knight Rises e um pouco de superhero talk

Christopher Nolan se leva a sério demais. E os atores que trabalham com ele mais ainda. Isso tudo impede que um bom filme de super-herói seja feito. Vingadores teve aquele sabor de comics. Batman não. Ainda assim foram dois filmes muito bons e um nem tanto. É a tradição. Ainda mais quando você está finalizando uma história que não precisa ainda de um final. Aliás, ninguém quer que acabe. Mais ainda, todos sabem que DC vai continuar produzindo Batman. Então forçar um universo maior que você a obedecer suas limitadas regras é puro egocentrismo. Mas hey, estamos exagerando aqui. É só um filme. E é bem fiel ao material original, bebe fortemente de Knightfall até mesmo em elementos visuais. E quem filosofa muito em cima de Hollywood é mais virgem que o Bruce Wayne. Esperamos ainda um Robin decente no cinema. Aquele carinha de antigamente era velho demais. Ah esse bloco tem muito super hero talk. Quase um Goes Off separado. Então olha que presente bacana, dois Jcasts. Tudo bem que é um presente amargo, como ganhar meias no aniversário. Mas a gente tem que ser educado e agradecer assim mesmo. Disponha.

(00:44:53-02:01:32) Goes Off: Brave

Brenda Chapman deixou a Pixar e foi pra LucasFilm. Isso é breaking news. Ela dirigiu Brave. Isso é poder de concisão, baby. Damos notícias complementares no texto introdutório pois o mundo não para. Gravamos hoje alguma coisa e amanhã BANG algo acontece. Algo novo acontece. E a gente corre o risco de soar datado e desinformado. Isso não é verdade, nós sabemos de tudo o que ocorre no mundo, inclusive que a Escócia é parte do Reino Unido. Aposto que isso você não sabia. Rei da Trivia, reporting for duty. Passamos por toda a discussão sem mandar ninguém a Mérida. Isso seria bobo e cansativo. Como peidar e achar graça. Então nós não fizemos isso. Sem piadinhas aqui. Discussão séria. Todos os pontos positivos e negativos dessa produção histórica da Pixar foram detalhados. Não reclamem, nós amamos animação. E Brave bem ou mal é a mais relevante do ano até o momento. Por diversas razões. A Dri e a Petra Leão, nossa convidada especial, explicam com mais detalhes. Então isso tudo nem é tão off topic assim. E o cabelo da Merida, hein? É vermelho e totalmente selvagem. Eu quero um spin off do cabelo. Pode se chamar… O Cabelo. Daí os episódios de meia hora mostrariam as suas diversas formas e seu comportamento em diversos ambientes. Tudo muito livre e vermelho. É como se a menina menstruasse pelo couro cabeludo. Isso é obviamente uma referência à feminilidade exacerbada da protagonista. Viu, esse tem muitos detalhes. A Dri e a Petra Leão, nossa convidada especial, explicam melhor. Tipo, muito mesmo.

Músicas nesse programa:

Psy – Gangnam Style
Rys Laouar – Deshi Basara
Julie Fowlis – Touch the Sky
Birdy and Mumford & Sons – Learn Me Right

Então, né, gente, mandem emails para [email protected], e até semana que vem!