Knurd Report #31

Participantes: Darkonix e Laivindil

knurd31


Download

“When a man gives his opinion, he’s a man. When a woman gives her opinion, she’s a bitch” Bette Davis

No qual pairam maledicências sobre podcasts alheios, elogios a nós mesmos e rants infindáveis sobre pronomes pessoais e Caitlyn Jenner ainda ser escrota, Doctor Who, o quê diabos aconteceu com Nicolas Cage e uma parada carnavalesca de portadores da síndrome de down e prostitutas.

Featuring music: Tove Lo – Habits (Stay High) e Rasputina – Bad Moon Rising. Emails serão bem vindos em alojcast@gmail.com

Disclaimer: As opiniões apresentadas nesse podcast não refletem as opiniões pessoais de adultos funcionais respeitáveis.

00:01:25 Machismo no Nerdcast e Anticast
00:33:45 Caitlyn Jenner
00:43:52 Doctor Who (Spoilers!)
01:03:55 King of the Nerds UK
01:11:29 Alias
01:24:00 True Detective
01:37:15 Convergence
01:48:36 Ms Marvel
01:55:20 Dog Soldiers
02:01:28 Watership Down
02:07:40 The Death of Superman Lives: What Happened?
02:20:45 Santa Sangre
02:26:11 Angel e Buffy
02:27:27 Sonic Boom

  • aldrey

    O assunto do troféu hq mix rendeu muito mesmo, embora eu não
    acompanhe esse tipo de evento e sites que noticiem isso, eu percebi o
    quanto rendeu porque fui descobrir o que aconteceu no site da
    revistatpm. Foi interessante, quer dizer a tpm até fala sobre cultura,
    mas não é o foco da revista, mas como ela ganhou o prêmio acho que a
    entrevista com a Ana aconteceria independentemente de ter ocorrido
    problemas, é o que prefiro acreditar.
    Também prefiro acreditar
    que é melhor que as pessoas falem sobre essas questões do ficarem nas
    cegas, seja por ego ou não pelo menos a pessoa vai entender que certas
    atitudes podem ser ofensivas pra um grupo e provavelmente vai tentar não
    fazer isso. Sei lá todo mundo muda, mesmo as pessoas mais mente fechada
    se deixam influenciar por alguma ideia que condiz com o que ela
    acredita se tem gente mudando por “modismo” querendo ou não essa pessoa
    vai procurar saber mais sobre o que a está influenciando e vai
    compreender mais de certos problemas. Acho que o único perigo seria que
    essa mudança ocorresse sem que a pessoa fizesse uma “auto-análise”, e ai
    como vcs disseram ela ignora o passado dela, e vira uma questão de ego
    pura, pq a pessoa parece às vezes ser até entendida do assunto mais se
    ela não enxerga qual o próprio papel dela ali, além de soar pedante fica
    um comportamento super contraditório do tipo gente privilegiada que pra
    “defender” o oprimido fala no lugar dele, negando a oportunidade de um
    grupo se expressar.

    Mudando de assunto eu sou uma das
    poucas pessoas que eu conheço que está MUITO entusiasmada pro filme do
    BvS, o que é muito frustrante, já me deparei com todo tipo de “porquês”
    pra não gostarem do filme – que nem saiu ainda e já tem hater. Eu até
    entendo questões de gosto, se uma pessoa não gosta de um filme desse tom
    ela não deve nada a ninguém, tem que ver o que tá a fim mesmo, mas
    quando ela generaliza e fala que td que tem um determinado estilo é uma
    bosta só pq calha de não corresponder ao gosto pessoal dela,
    desconsiderando que tem um monte de gente que gosta desse tipo de coisa,
    e chegando a dizer que ninguém quer ver algo do tipo só pq ela não
    quer, ai eu saio de mim, dou uma volta e finjo que não escutei o que a
    pessoa disse, pq pra que se estressar com hater né, tanta coisa
    acontecendo no mundo não preciso desse tipo coisa na minha vida. Mas ai
    eu lembro que uma amiga disse que às vezes quando uma pessoa está sendo
    meio irracional e está te deixando desconfortável vc não precisa
    discutir, só que é bom deixar clara qual sua posição sobre o assunto, o
    problema é que na maioria das vezes por mais calma que vc esteja
    enquanto vc diz sua posição, a pessoa tem um filtro na cabeça que
    transforma td o que vc diz num ataque pessoal, então né o que é melhor
    fazer, não sei… Por exemplo uma amiga minha minha com quem eu sempre
    assisto filmes blockbusters e que eu achei que estaria super
    entusiasmada pra ver a mulher-maravilha – pq além dela adorar
    super-heróis ela adora qualquer coisa relacionada à mitologia grega –
    resolveu que não vai assistir o filme pq os olhos dela não são azuis…
    não são azuis, azuis… como pode, eu fiquei pensando se eu tinha
    escutado certo ainda não lembro qual foi minha reação a isso, acho que
    eu fiquei meio em choque, reconsiderando minhas escolhas de vida,
    pensando wtf repetidamente, até tentei entender se tinha alguma outra
    coisa, só que não só a porra dos olhos azuis mesmo. Enfim é mesmo
    incrível como, as pessoas estão dispostas a assistir qualquer coisa e
    sempre se dar o benefício da dúvida na hora de assistir um filme, mas
    super-heroínas que ganham um filme dirigido por uma mulher – cujo filme
    mais famoso teve indicação ao oscar de atuação – tem que conviver com
    haters que se baseiam na aparência delas pra decidir se vale ou não a
    pena assistir o filme. Incrível esse mundo que a gente vive, tão incrível
    que nem parece real.

    Desculpem pelo comentário longo, me excedi novamente.

  • Vinicius tomal

    Só uma dica pontual aldrey. O sistema de comentários quebra a formatação quando você cola um texto com paragrafação nos comentários, o esquema é colar primeiro no bloco de notas para limpar a paragrafação e depois aqui, porque se não fica tudo esquisito.

    PS: A 4a temporada de Buffy é boa para caralho, não sei a bronca do Darko.

    • aldrey

      Valeu a dica, vou prestar mais atenção nisso.