JCast #146

Rant: Orgulho Hétero e Dawkins Misógino
Papers: Parapara, Techpara e Diamond 7
Review: Karigurashi no Arrietty

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan e Dychan

Aqui estamos nós de novo. Demoramos outra vez por conta de prioridades. Enquanto uns se mantêm atualizados com os memes mais quentes do momento, ou seja, aqueles endossados pelos Biebers e Rihannas da vida, como Owling, Planking, Cone-ing e Horsemaning, outros pensam em formas cada vez mais irracionais de se manterem ativos sexualmente. Podcasting que é bom, nada. Até um certo ponto. A gente ama isso aqui, bem mais que vocês. “Ama” não né. É mais um relacionamento doentio e co-dependente. Seja como for, agora já era. Programa gravado, editado, upado e em breve escutado. Penetramos em sua mente e simplesmente não dá pra se livrar.

(00:00:45-00:33:10) Rant: Orgulho Hétero e Dawkins Misógino

Os participantes desse bloco gostam de reclamar. Não há outra explicação. Se estiver ouvindo e sentir que teve um deja vu, você está errado. Não é a sensação de já ter ouvido isso antes. Você de fato está escutando uma discussão requentada. Ou talvez não, mas é que estamos sempre tão revoltados com o status quo que já ficou chato. Temos certeza de que você deve apenas processar 40 minutos de “mimimimimimi” ou “bla bla bla”, ao melhor estilo professora do Charlie Brown.

Skepchick – The Privilege Delusion (texto sobre o caso do Dawkins)

Trilha: Usotsuki Barbie – Ni Ni Ni Ni

(00:34:13-1:18:24) Papers: Parapara, Techpara e Diamond 7

Dy-chan retorna mais uma vez ao lar para falar de uma de suas especialidades. Não estamos falando de discussões legais (legal de advogado suado, não de maneiro) nem muito menos de suas habilidades malabarísticas com a língua japonesa. Dessa vez conversamos sobre Parapara, aquela dança japonesa que você já viu, já fez “Meh”, mas agora vai passar a curtir pois nós estamos assinando embaixo. E se você não gostar é homofóbico e nós te processaremos. Esse bloco todo, no fim das contas, é só um grande jabá pra Diamond 7. Vamos ser sinceros e tirar isso do caminho. Lá vai.

Página da DIAMOND7 no Facebook
Página do evento no Facebook

D7 DVDs:
ZONA-1
ZONA-2

Edições Anteriores (ALERTA LOLI pro segundo vídeo):

(01:19:06-1:53:23) Review: Karigurashi no Arrietty

Novo filme do Ghibli, deveras recente mas ainda longe de ter um lançamento oficial ocidental. Não dá pra esperar, sorry. Mas somos críticos especializados, é como se tivéssemos acesso a um tipo de cabine de imprensa. A gente pode ver antes. É lógico que você vai esperar até o ano que vem pra ver a versão da Disney. Só não espere tanto pra ouvir o review, não tem spoiler aqui. Digo, é um Ghibli, então não espere grandes violências gráficas. E não assista The Borrowers antes, o filme gringo de 1997. Ver o Tom Felton pirralho pode até ser uma experiência curiosa, mas o filme tem John Goodman demais. Tirando Flintstones, tudo com muito John Goodman faz mal pra saúde. John Goodman e Rosie O’Donnel então… overdose. Por associação de palavras eu recomendaria Ellen DeGeneres pra recuperação. E vou parar antes que eu saia muito do tópico inicial.

Trilha: Cécile Corbel – Kari-gurashi

AVISO: Pra acertar o cronograma e aliviar nossas conturbadas vidas do peso de entregar esse podcast que vocês todos amam por alguns dias, o próximo JCast não sairá semana que vem. Ou melhor, sairá: mas ao invés de sair ás quartas, como tem saído, sairá no fim de semana, para reestabelecer o status quo. Pra quem ficou confuso: o próximo JCast sai dia 20/21 de Agosto, daqui a 10/11 dias. Certo? certo.

Então, né, gente, mandem emails para [email protected], e até semana que vem!

JCast #139

Rant: Gokaiger e Dieta dos Dias Alternados
Review: Godzilla
Papers: Tipos Sanguíneos

Participantes: Darkonix, Laivindil, Ryo e Pinscher

JCast está com os dias contados. Atendendo a pedidos, nos tornaremos o Madokast. Tudo bem que a série é curtinha, mas podemos fazer episódios inteiros tecendo teorias a respeito das estampas nos vestidos. Ok, isso não acontecerá, pelo menos não nesse universo. Assim que eu descobrir em qual dimensão isso acontece, me mudo pra lá na mesma hora. No interim, seguimos fazendo o que fazemos melhor: atrasando o JCast, gravando pautas malucas de última hora e batendo recordes. Nessa edição você poderá sentir nosso sono e nosso tédio em uma gravação que varou a madrugada. Em qual bloco isso ocorre, caberá a vocês descobrir. Não dá pra sair revelando assim todas as nossas fraquezas. O lado bom disso é que a edição frankestein do Darko dá sentido para toda essa bagunça. Queria que a vida fosse editável assim. Antes que essa introdução fique existencialista e emo demais, vamos aos blocos.

(00:00:46-00:09:55) Rant: Gokaiger e Dieta dos Dias Alternados

Quem precisa do Shake da Luciana Gimenez quando você pode simplesmente não comer? E nem precisa viver de fotossíntese, ou se desligar do mundo em permamente estado meditativo. É só fechar a boca. Muito bom parar de ouvir tantos métodos diferentes e voltar ao básico: o que não mata, engorda. Você fecha a boca e trate de comer algo quando sentir o último fôlego de vida querendo escapar. Não adianta nada estar magro no céu. Vai que o padrão de beleza lá é outro.

Trilha: Nancy Sinatra – Boots

(00:10:37-00:52:06) Review: Godzilla

Em 1954 um cara usando uma roupa de borracha pisoteia uma maquete e vira um dos maiores ícones da cultura pop mundial. Se isso fosse feito hoje ninguém daria a mínima. Mas por causa do padrão estabelecido mais de meio século atrás, se fizerem diferente TODOS PROTESTA. Isso faz sentido? Não. Mas também não faz sentido atirar num lagarto gigante com pequenas e inúteis metralhadoras. E amamos Godzilla assim mesmo. Voltamos no tempo, até a época em que tudo começou, quando o bichão não era o Charmander, nem um dragão de komodo que se torna o Alien. Tempos inocentes esses, em que um despretensioso filme catástrofe marca uma época e vira documento histórico.

Trilha: The Best Of Godzilla 1954-1975

(00:53:01-01:47:26) Papers: Tipos Sanguíneos

Olá, somos o Jcast e nosso típo sanguíneo é AB. Pois somos bipolares. E é o único tipo de “Bi” que somos. Alguns sabiam, outros nem tanto, mas os tipos sanguíneos na cultura japonesa podem dizer muito sobre sua pessoa. Não é tão variado quanto o horóscopo, mas em compensação não é muito repetitivo. Somos a favor da substituição do sistema. Vamos agitar um plebiscito. Muitos astrólogos perderiam o emprego e teriam que fazer cursos de atualização em enfermagem, mas esse é o barato da vida. Mudanças. Tipos AB adoram mudanças. Olha o fantasma do Madokast aí de novo.

Sua Velha – Corrida de Xoxota

Trilha: Chara – UNION

A coisa que eu mais gosto dos feriados é que eu nunca sei quando eles estão vindo, é sempre uma grata surpresa. Por isso, imaginem como estou feliz em saber que essa semana só trabalho até quarta! Enfim, mandem emails para [email protected], principalmente sobre Madoka, que logo, logo deve rolar um Feedback especial Madoka Magica, e até semana que vem!

I Put A Spell On You

JCast #136

Rant: MAIS American Idol, Game of Thrones e Doctor Who, Thor e Piratas do Caribe 4
Preview: Sekai-ichi Hatsukoi
Papers: Pink Eiga
Review: The Glamurous Life of Sachiko Hanai

Participantes: Darkonix, Laivindil, Sofia e Tanko

Aos poucos nosso cronograma volta ao normal. A prova disso é que estamos em um sábado e eis aqui um Jcast novinho. Temos um remake de uma pauta que não deu certo, com um pedaço inserido a la Frankestein da gravação original. Espero que não esteja mais on drugs que nosso normal, já que nunca foi nossa intenção fazer apologia às drogas. É como a Eliana dizia, antes dela ter uma vida sexual aberta publicamente: “Não faça nada que você não possa contar nem pro papai nem pra mamãe”. Claro que esse aviso perde totalmente o significado se você for filho do Ozzy Osbourne. Ou não. Rockstars geralmente não querem que seus filhos sigam os mesmos passos. Eu estou meio perdido com o exemplo escolhido, já que não assisti àquele reality show que mostrava a família do cara, então realmente não sei o que seus filhos consomem. Espero que a Wiki responda, já que não quero baixar mais um reality show inútil. Talvez eu deva arrumar outro rockstar e salvar meu exemplo. Ou talvez eu deva só parar com isso e voltar ao assunto do podcast. É.

(00:00:28-00:29:42) Rant: MAIS American Idol, Game of Thrones e Doctor Who, Thor e Piratas do Caribe 4

Aqui demos chance a Sofia, para que nossa futura advogada gringa que não poderá trabalhar no Brasil dê seus updates no que anda vendo/lendo/bebendo. E aproveitamos e damos nosso próprio pitaco, que soa como uma grande reprise, já que os assuntos foram mencionados no programa passado. Isso não tira o valor do bloco, já que somos como A História Sem Fim. Cada vez que somos abertos, sai uma coisa diferente. E com isso encerro de vez as metáforas falhas de hoje.

Casey Abrams
I Put a Spell on You
Smells Like Teen Spirit
I Heard It Through the Grapevine
Nature Boy
Harder to Breathe

Haley Reinhart
Blue
Bennie and the Jets
Piece of my Heart
Rolling in the Deep
House of the Rising Sun
I (Who Have Nothing)
What Is And What Should Never Be

Trilha: Yelle – Pop Up

(00:30:31-00:56:16) Preview: Sekai-ichi Hatsukoi, com a Tanko do Blyme

Se você não é homem o bastante pule esse bloco. Sério. A Tanko está aqui, e o Darko também, então espere um furacão de Gay Rage. A fofa da Tanko fala um pouco sobre o último anime da temporada que faltou comentar, Sekaichi Hatsukoi. E é um ótimo anime. Prontofalay. Vocês não podem nos julgar. Julguem o Yohan, se houver necessidade. Ele não saiu do armário yaoi ainda.

Trilha: Sekai-ichi Hatsukoi OP & ED singles

(00:57:01-01:31:02) Papers: Pink Eiga

Olha só, JCast falando de sexo. Mas somos como os japoneses. Precisamos dar voltas e mais voltas e censurar tudo com mosaicos. Então ao invés de debatermos abertamente nossas vidas sexuais, para a alegria de todos, nós simplesmente comentamos sobre todo um estilo cinematográfico cult nipônico que sugere sexo de forma muito classuda. Bem, não dá pra ser muito classudo quando você tem um lápis enfiado na testa e é estuprado pelo dedo do presidente Bush, mas eles fazem o possível. Dêem crédito aos caras. Aprenda conosco que Emanuelle não é o máximo de sexo simulado que você que tem 13 anos pode ter acesso. Existem formas muito mais intensas e criativas de fazer isso.

Trilha: midori – Shinsekai

(01:31:22-01:55:07) Review: The Glamurous Life of Sachiko Hanai

Primeiro a teoria, depois a prática. Geralmente temos uma opinião muito forte sobre as obras que resenhamos. Mas pela primeira e espero única vez, você nos verá completamente pasmos. Não dá pra saber o que achar desse filme e o único ponto que concordamos é que transar filosofando deve ser muito divertido. Filosofia pelo menos nós conhecemos e sabemos que é ótimo. O resto nós conseguimos imaginar muito bem. Esse mundo de hoje em dia é tão sexualizado. Todo mundo só fala disso. Então tente ter uma opinião a respeito da adorável Sachiko Hanai e seus dilemas éticos profundos. Nos conte depois. Não conseguimos lembrar mais do filme e não vamos ver de novo nem por um caralho. Acho que nunca usamos palavrões no texto antes. Uma primeira vez pra tudo.

E esse é o JCast voltando à sua regularidade! Mas hoje não estou com paciência pra escrever muito, então mandem emails para [email protected], e até semana que vem, agora de verdade!

I Put A Spell On You

JCast #129

Rant: Novelas e Rebelde Brasil
Papers: Yuru-Kyara
Review: Hebi ni Piasu (Cobras e Piercings)

Participantes: Darkonix e Laivindil

Boom, Boom, Boom, let me hear you say way-ooh!!! Março vai embora, e mesmo de luto por sua partida, batemos nosso ponto semanal aqui no JCast. Como 2011 está indo para vocês? Se seu emprego é vestir uma enorme e felpuda fantasia ridícula e ficar rebolando por aí independente da estação do ano, não precisa responder. É óbvio que seu 2011 deve estar uma total e completa MARAVILHA! Não deve existir nada mais divertido. Além do mais, ninguém te reconhece. Você pode inventar que trabalha fazendo coisas chatas atrás de um balcão chato. Mal sabem eles que tudo o que você quer é correr de volta para sua fantasia que cheira a mofo, cerveja, urina e tem extremidades queimadas de cigarro. E é aproveitando esse clima decadente oculto por trás de uma aura de bem-aventurança que introduzimos o “Cobras e Piercings”. E é aproveitando esse título de novela das sete que nós ainda discutimos várias bobagens envolvendo novelas. E o círculo se fecha. Fora da ordem cronológica. JCast subvertendo e criando fendas no espaço-tempo.

(00:00:38-00:20:30) Rant: Novelas e Rebelde Brasil

Anahí deve estar se revirando no túmulo. Ou estaria, se estivesse morta. Calma, deixa eu ver isso no google… Ok, ela está viva. Reformulando: Qualquer membro morto da produção de Rebelde deve estar se revirando no túmulo. Sim, os vivos devem estar muito felizes e cheios da grana. A Cris Morena, argentina que bola essas novelas que duram 5 anos e têm músicas no meio, não tem nada pra reclamar. Só fã idiota mesmo. De qualquer forma, se você ainda vê novela, comece um processo de reabilitação urgente. Comece trocando novelas brasileiras por portuguesas. Vai doer, mas é por uma boa causa.

JWave #40: Dragon Ball – parte 1 (Com a participação especial do sumido do Luan!)
Anikencast #006 – Histórias de um Passado Animístico

Trilha: Ishii Akemi – Fanatique

(00:21:00-00:46:45) Papers: Yuru-Kyara

Leiam o post a respeito. Depois escutem o bloco que complementa o post e até contradiz. Não por algum exercício metalinguístico, mas por confusão mental mesmo. O JCast não acredita em coerência quando você vive num mundo incoerente. É o Caos do Raciocínio Livre. É todo um movimento nascendo enquanto digito essas palavras. É a sensação chata de já ter feito essa piada antes. É o desespero de já ter gasto várias linhas e nenhuma delas ter relação com o assunto o bloco. Enfim. Mascotes no Japão, seu simbolismo, sua importância, seu lugar na sociedade. Eles têm muito mais camadas do que você pode pensar a princípio. Não julgue um livro pela capa. E não imagine se o ator ali dentro está com ou sem cueca. Certas coisas demoram muito para sair do pensamento.

JCast – Fofos e Lucrativos
Wish you ARE here
Sento-kun X Manto-kun
Sento-kun Vs. 30 characters
Hikonyan

Trilha: GO!GO!7188 – Go!!GO!GO!Go!!

(00:47:15-01:28:53) Review: Hebi ni Piasu (Cobras e Piercings)

Primeiro presente que comentamos no podcast. O Beck_Nana mandou e como prometido, cá estamos analisando esse interessante e perturbador livro. Não é uma obra sobre sadomasoquismo. Mas falamos muito dessa parte, então pode gerar essa impressão. É que falamos também sobre a versão cinematográfica da obra, e a protagonista é muito bonita. Mais ainda com as mãos amarradas e choramingando. Fiquem calmos, é de mentirinha. Já vi fotos da atriz, após as filmagens, ela estava muito feliz. Se não foi de mentira, então ela gostou, é um caso de Win-Win. No mais, mergulhe de novo na insegurança de uma geração e em suas formas pouco ortodoxas de auto-afirmação. E não façam Split Tongue. Melhor colocar aqueles chifrinhos subcutâneos.

Trilha: Chara – Kiss

Trilha: Chara – Honey

Dezenas de edições depois e o JCast resolve voltar a tentar ser interativo, vamos ver quem vai entrar nessa. Mandem seus emails, desenhos do Yuru-Kyara do Exú Caveirinha nipônico e vídeos de sua visita ao Sebo do Messias para [email protected], e nos visite em www.jcast.com.br caso estejam nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

01:28:14-02:06:26

JCast #128

Rant: Obama no Brasil, jabá e a falta de Madoka Magica
Papers: Terremotos e a Arquitetura Japonesa
Trend: Grande Terremoto de Touhoku
Review: Tokyo Magnitude 8.0

Participantes: Darkonix, Laivindil, Sofia e Yohan

Timing perfeito. Mal comentamos sobre terremotos semana passada, como quem não quer nada, e acontece novamente. Dessa vez é só o maior da história. Só que por mais que queiramos nos preocupar, a calma dos japoneses é irritante. Queremos ver histeria, choro, perda e sofrimento. Não tem tom de voz apocaliptico que segure muito tempo o clima épico e sem esperanças que a mídia precisa vender. Infelizmente então, sobrou para nós do Jcast a missão de garimpar informações e tentar deduzir o que diabos realmente está acontecendo por lá, sem deixar de revisitar tremores antigos e de respeito. Todos sabemos que o Japão é todo voltado para essa coisa de respeito aos ancestrais. Nada melhor do que falar um pouco dos Terremotos-Sama de ontem, de hoje e de sempre. Pra fechar o ciclo, como temos TOC e tudo precisa ter a simetria narrativa perfeita, encerramos com o review de uma singela e tocante obra chamada Tokyo Magnitude 8.0.

(00:00:26-00:05:50) Rant: Obama no Brasil, jabá e a falta de Madoka Magica

Obama no Brasil, Yohan revoltado com a falta de Madoka Magica e ninguém se importa com as questões relevantes de verdade, como o absurdo que é o uniforme da Mulher Maravilha em seu novo Live Action. Pense em Power Rangers pornô.

Agenda Cultural 26 – O Proibidão
Revista Neo Tokyo nº 61

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1

(00:06:08-00:26:12) Papers: Terremotos e a Arquitetura Japonesa

Uma geral nos terremotos passados e na evolução forçada da arquitetura japonesa, cada vez mais preparada para os golpes baixos de Gaia. Eu amo meu planeta, acho ele muito sexy, mas quando o fofinho acorda de mal humor… nos lembramos que somos apenas grãos de poeira cósmica. JCast hoje está todo bicho-grilo.

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1

(00:26:35-01:08:48) Trend: Grande Terremoto de Touhoku

Uma grande tragédia se abateu no nosso querido Japão e os olhos do mundo se voltam apreensivos para o frágil arquipélago. Enquanto as emissoras de TV torcem por uma grande explosão nuclear, nós e o Nuclear Boy tentamos explicar que a coisa não é tão simples. Paradoxalmente, a coisa é até mais tranquila do que se pensa. Claro que no fim das contas podemos estar completamente errados, iludidos pela perfeita Poker Face dos nipônicos. Vamos torcer para não ser esse o caso.

Tsunami – Antes e Depois
FYI: How Does Nuclear Radiation Do Its Damage?
How Nuclear Reactors Work, And How They Fail

Doações
Cruz Vermelha Brasileira
Cruz Vermelha Americana
Exército de Salvação
Visão Mundial
GlobalGiving

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1 e 2

(01:09:29-01:45:43) Review: Tokyo Magnitude 8.0

Esse é mais um anime do Noitamina e segura orgulhosamente a boa tradição desse bloco. Também está sendo reprisado atualmente no Japão, o que é uma grande ironia do destino. Para completar a temática catástrofe, a gravação em si desse podcast foi desastrosa. Por isso que a Sofia surge no começo, some, e participa rapidamente no final do bloco. Desculpe-nos Sofia. Provavelmente os deuses acharam que fomos longe demais. No geral, descubra conosco como um terremoto pode curar o aborrecente dentro de você.

Trilha: Koh Otani – Tokyo Magnitude 8.0 Original Soundtrack

Essa edição do JCast assumiu fácil, fácil o posto de mais conturbada, só não sendo superada pela vez em que eu tive dengue. Pelo menos combinou com o clima de catástrofe. Ah, pra quem está se perguntando, a música no final é Kimi de ite, Buji de ite, composta e cantada pela insuperável Yoko Kanno, para arrecadar fundos e doar pra quem tá precisando. Mandem emails para [email protected], nos visitem em www.jcast.com.br caso estejam nos ouvindo na Kombo e até semana que vem!

01:28:14-02:06:26