JCast #139

Rant: Gokaiger e Dieta dos Dias Alternados
Review: Godzilla
Papers: Tipos Sanguíneos

Participantes: Darkonix, Laivindil, Ryo e Pinscher

JCast está com os dias contados. Atendendo a pedidos, nos tornaremos o Madokast. Tudo bem que a série é curtinha, mas podemos fazer episódios inteiros tecendo teorias a respeito das estampas nos vestidos. Ok, isso não acontecerá, pelo menos não nesse universo. Assim que eu descobrir em qual dimensão isso acontece, me mudo pra lá na mesma hora. No interim, seguimos fazendo o que fazemos melhor: atrasando o JCast, gravando pautas malucas de última hora e batendo recordes. Nessa edição você poderá sentir nosso sono e nosso tédio em uma gravação que varou a madrugada. Em qual bloco isso ocorre, caberá a vocês descobrir. Não dá pra sair revelando assim todas as nossas fraquezas. O lado bom disso é que a edição frankestein do Darko dá sentido para toda essa bagunça. Queria que a vida fosse editável assim. Antes que essa introdução fique existencialista e emo demais, vamos aos blocos.

(00:00:46-00:09:55) Rant: Gokaiger e Dieta dos Dias Alternados

Quem precisa do Shake da Luciana Gimenez quando você pode simplesmente não comer? E nem precisa viver de fotossíntese, ou se desligar do mundo em permamente estado meditativo. É só fechar a boca. Muito bom parar de ouvir tantos métodos diferentes e voltar ao básico: o que não mata, engorda. Você fecha a boca e trate de comer algo quando sentir o último fôlego de vida querendo escapar. Não adianta nada estar magro no céu. Vai que o padrão de beleza lá é outro.

Trilha: Nancy Sinatra – Boots

(00:10:37-00:52:06) Review: Godzilla

Em 1954 um cara usando uma roupa de borracha pisoteia uma maquete e vira um dos maiores ícones da cultura pop mundial. Se isso fosse feito hoje ninguém daria a mínima. Mas por causa do padrão estabelecido mais de meio século atrás, se fizerem diferente TODOS PROTESTA. Isso faz sentido? Não. Mas também não faz sentido atirar num lagarto gigante com pequenas e inúteis metralhadoras. E amamos Godzilla assim mesmo. Voltamos no tempo, até a época em que tudo começou, quando o bichão não era o Charmander, nem um dragão de komodo que se torna o Alien. Tempos inocentes esses, em que um despretensioso filme catástrofe marca uma época e vira documento histórico.

Trilha: The Best Of Godzilla 1954-1975

(00:53:01-01:47:26) Papers: Tipos Sanguíneos

Olá, somos o Jcast e nosso típo sanguíneo é AB. Pois somos bipolares. E é o único tipo de “Bi” que somos. Alguns sabiam, outros nem tanto, mas os tipos sanguíneos na cultura japonesa podem dizer muito sobre sua pessoa. Não é tão variado quanto o horóscopo, mas em compensação não é muito repetitivo. Somos a favor da substituição do sistema. Vamos agitar um plebiscito. Muitos astrólogos perderiam o emprego e teriam que fazer cursos de atualização em enfermagem, mas esse é o barato da vida. Mudanças. Tipos AB adoram mudanças. Olha o fantasma do Madokast aí de novo.

Sua Velha – Corrida de Xoxota

Trilha: Chara – UNION

A coisa que eu mais gosto dos feriados é que eu nunca sei quando eles estão vindo, é sempre uma grata surpresa. Por isso, imaginem como estou feliz em saber que essa semana só trabalho até quarta! Enfim, mandem emails para [email protected], principalmente sobre Madoka, que logo, logo deve rolar um Feedback especial Madoka Magica, e até semana que vem!

I Put A Spell On You

JCast #138

Rant: X-Men First Class, Haruhi, Yohan assistindo Doctor Who, The Hangover e O Olho da Vida (ou da Alma)
Review: Madoka Magica, COM SPOILERS

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan, Raphael Soma e Carlírio Neto

Entropia. Quem diria, meus amigos, quando você estava na escola e dormia ao som dessa palavra, que no futuro ela se tornaria tão legal. Dá até vontade de mandar para os japoneses sugestões de termos chatos mas com potencial, para usarem em suas produções. Como adiabático. Ou difração. Ou Gloria Menezes. É nossa mahou shoujo favorita tecendo as novas tendências verbais do século 21. Isso é tão importante que ela ganha mais uma edição dedicada a seu anime, só que agora com spoilers liberados. Vocês tiveram bastante tempo para assistir, então estaremos de olho nos downloads. Os ouvintes habituais que não baixarem o podcast terão seus ip’s devidamente anotados. Daremos um jeito de vincular seus nomes com download de pornografia infantil e enviaremos para a PF. É muito fácil, o JCast possui conhecimento interno do assunto. Também somos ótimos em repetir as mesmas piadas sempre, pois é seguro. E admitimos isso antes que joguem em nossa cara, arruinando assim sua futura crítica. Sempre um passo adiante. Em todos os sentidos. Mesmo que encontrem outro podcast falando sobre Madoka, não será tão bom como esse. Em nenhum outro lugar os participantes comentarão sem pudores sobre as calcinhas das protagonistas. Bang, fizemos de novo.

(00:00:36-00:16:35) Rant: X-Men First Class, Haruhi, Yohan assistindo Doctor Who, The Hangover e O Olho da Vida (ou da Alma)

“a vagina
é um bolso
um calabouço
um poço no jardim

a caixa de pandora
a lâmpada de aladim
que homens adoram
e mulheres que não
e que sim”
(Poema da Vagina, Águia Mendes)

O Olho da Vida (ou da Alma)

Ah, e o Yohan está vendo Doctor Who. Mas só porque o Doutor é ateu. Sujeitinho bairrista.

Trilha: Casker – Polyester Heart

(00:17:20-01:46:44) Review: Madoka Magica, COM SPOILERS

Um bando de homem cabeludo discutindo um anime sobre garotinhas? Nem tanto. Já estabelecemos aqui o conceito de que Madoka tem uma paleta muito mais amplas de temas e emoções e só batemos tanto nessa tecla no passado para deixar os convidados mais confortáveis. Apesar do que diz a lenda urbana, quem participa do JCast falando sobre animes controversos não sofre bullying depois. Nós nem apoiamos esse termo. Então pule dentro desse papo acalorado e descubra se suas teorias malucas e completamente erradas foram compartilhadas por alguém. Pois teoria nenhuma de ninguém foi confirmada no final, mesmo. Então relaxa, para de ser tão sensível a esse respeito. Junte-se aos losers. E fique na torcida com a gente, para futuros projetos animados que se passem nesse mesmo universo. Ah, e já que o Laivin aqui não estava na discussão, deixo bem claro minha opinião, que tem o poder de decidir qualquer dilema: por mais que queiramos, não há Yuri em Madoka, aquele bicho escroto é um filho da puta, e no mundo novo todas as crianças podem comer doce na janta. É o mais lógico. É o que eu faria.

~nothing but malice and misery~
NETOIN!

Trilha: Yuki Kajiura – Mahou Shoujo Madoka Magica Special CD 2 – OST

Tô com preguiça de escrever qualquer coisa aqui, quem reclamar que venha lavar a minha louça. É com essa simpatia e receptividade que vos peço: mandem emails para [email protected], e até semana que vem!

I Put A Spell On You

JCast #137

Rant: Final de Smallville, Reboot da DC e X-Men: First Class
Review: Madoka Magica, sem spoilers

Participantes: Darkonix e Laivindil

Semana excitante à vista! Não seria assim de forma alguma, se não fosse pelo JCast. Somos o melhor escapismo do mundo. Você nos escuta, ganha aquele renovado ar de auto-confiança, ao perceber que não é tão estranho como a gente, e pode enfrentar a semana com muito mais amor no coração. É nossa função na vida, e por isso abusamos às vezes das bobagens. Hoje até que estamos calmos. Não vamos correr o risco de sobrepujar o tema da semana, que merece a sua completa atenção. Esqueça quem somos, e nem preste atenção nas opiniões. Como exatamente farão isso, já que estarão ouvindo o nosso review, eu não sei. Descubram. Assistir Madoka também é um teste para os seus sentidos e todos nós passamos por isso. Ah, você não passou ainda? Então ouça essa primeira parte totalmente spoiler-free e faça o favor de assistir a série toda, pois semana que vem tem mais. E ninguém será perdoado.

(00:00:25-00:27:08) Rant: Final de Smallville, Reboot da DC e X-Men: First Class

Smallville acabou e a pergunta que nos acompanhou durante dez anos ficou sem resposta. E não é a idade do Tom Welling, mas se ele fica bem ou não com a cueca por cima das calças. Não pudemos ver com clareza, no máximo um pequenino dublê digital cruzando um céu digital rápido demais para disfarçar algumas restrições orçamentárias. Propaganda enganosa. Mais do que o saco diminuido digitalmente do Brandon Routh. Sim, não sabia, menina? Dizem que ficava estranhamente evidente na cueca vermelha e poderia colocar em risco a atuação do cara, já que ninguém iria reparar muito em suas expressões faciais. Vai que o Tom Welling tinha o mesmo problema. Ou o problema inverso. De ambas as formas, a produção não poderia arcar com o problema. Melhor colocar o Red/Blue Blur bem rapidinho e todo mundo fica feliz. E por falar em heróis com vestimentas mais dignas, X-Men volta aos cinemas. Emma Frost infelizmente não pega o Scott Summers, pois pelo jeito ele ainda não tinha nascido ali. Eu gostava desse casal. Ela não pegaria de todo modo, pois ele morreu em X-Men 3. Se bem que diferenças cronológicas óbvias impedem esses filmes de coexistirem no mesmo universo. Então podemos ter X-Men 4 Goes DC Comics com personagens de vários universos e cronologias em um bacanal cósmico.

Trilha: Tokyo Jihen – Shuraba

(00:27:49-01:19:42) Review: Madoka Magica, sem spoilers

Aproveitem pois não é sempre que falamos de algo que ainda está quentinho do forno. Puella Magi Madoka Magica pode inspirar graça, desconfiança, excitação, o que for. Mas definitivamente esteve na boca de todos e roubou para si a temporada passada, que apresentou duros concorrentes. Mas não teve jeito. Menininhas com armas sempre ganham a briga. Ainda mais se for feito de uma forma nunca antes vista. E não é exagero de fanboy. Somos fanboys, mas não somos exagerados. Quando dizemos que uma série foi tão boa que abriu fendas na fábrica da realidade, nós estamos falando sério. Coisas estranhas começam a te espreitar á noite quando você assiste esse anime. E você passa a ter perigosas idéias de vestimentas para suas futuras filhas. E nunca mais você enxerga seu gato de estimação com os mesmos olhos. É uma experiência de vida. Então aproveitem que mordemos a lingua e não revelamos spoilers, e ouça sem medo. Tenha medo depois. E volte semana que vem para a épica conclusão.

http://www.youtube.com/watch?v=Wa3o0yCwHto

http://www.youtube.com/watch?v=CKRHiue2sIM

E assistam o último vídeo de uma forma interessante.

Trilha: Yuki Kajiura – Mahou Shoujo Madoka Magica Special CD 2 – OST

Está fazendo um frio SOBRENATURAL em São Paulo. Sério, me sinto na Sibéria. Como vocês sobrevivem? Persisto em minha batalha pela vida, enquanto o ar paulistano adentra meus poros como um milhão de pequenas e afiadas navalhas. Por isso me mandem emails de apoio para [email protected], preciso de força nessa prova de resistência que a vida me impõe. Só não venham me dizer que ainda não começou o frio de verdade, que agora é impossível! Enfim, até semana que vem, pessoas.

I Put A Spell On You

JCast #136

Rant: MAIS American Idol, Game of Thrones e Doctor Who, Thor e Piratas do Caribe 4
Preview: Sekai-ichi Hatsukoi
Papers: Pink Eiga
Review: The Glamurous Life of Sachiko Hanai

Participantes: Darkonix, Laivindil, Sofia e Tanko

Aos poucos nosso cronograma volta ao normal. A prova disso é que estamos em um sábado e eis aqui um Jcast novinho. Temos um remake de uma pauta que não deu certo, com um pedaço inserido a la Frankestein da gravação original. Espero que não esteja mais on drugs que nosso normal, já que nunca foi nossa intenção fazer apologia às drogas. É como a Eliana dizia, antes dela ter uma vida sexual aberta publicamente: “Não faça nada que você não possa contar nem pro papai nem pra mamãe”. Claro que esse aviso perde totalmente o significado se você for filho do Ozzy Osbourne. Ou não. Rockstars geralmente não querem que seus filhos sigam os mesmos passos. Eu estou meio perdido com o exemplo escolhido, já que não assisti àquele reality show que mostrava a família do cara, então realmente não sei o que seus filhos consomem. Espero que a Wiki responda, já que não quero baixar mais um reality show inútil. Talvez eu deva arrumar outro rockstar e salvar meu exemplo. Ou talvez eu deva só parar com isso e voltar ao assunto do podcast. É.

(00:00:28-00:29:42) Rant: MAIS American Idol, Game of Thrones e Doctor Who, Thor e Piratas do Caribe 4

Aqui demos chance a Sofia, para que nossa futura advogada gringa que não poderá trabalhar no Brasil dê seus updates no que anda vendo/lendo/bebendo. E aproveitamos e damos nosso próprio pitaco, que soa como uma grande reprise, já que os assuntos foram mencionados no programa passado. Isso não tira o valor do bloco, já que somos como A História Sem Fim. Cada vez que somos abertos, sai uma coisa diferente. E com isso encerro de vez as metáforas falhas de hoje.

Casey Abrams
I Put a Spell on You
Smells Like Teen Spirit
I Heard It Through the Grapevine
Nature Boy
Harder to Breathe

Haley Reinhart
Blue
Bennie and the Jets
Piece of my Heart
Rolling in the Deep
House of the Rising Sun
I (Who Have Nothing)
What Is And What Should Never Be

Trilha: Yelle – Pop Up

(00:30:31-00:56:16) Preview: Sekai-ichi Hatsukoi, com a Tanko do Blyme

Se você não é homem o bastante pule esse bloco. Sério. A Tanko está aqui, e o Darko também, então espere um furacão de Gay Rage. A fofa da Tanko fala um pouco sobre o último anime da temporada que faltou comentar, Sekaichi Hatsukoi. E é um ótimo anime. Prontofalay. Vocês não podem nos julgar. Julguem o Yohan, se houver necessidade. Ele não saiu do armário yaoi ainda.

Trilha: Sekai-ichi Hatsukoi OP & ED singles

(00:57:01-01:31:02) Papers: Pink Eiga

Olha só, JCast falando de sexo. Mas somos como os japoneses. Precisamos dar voltas e mais voltas e censurar tudo com mosaicos. Então ao invés de debatermos abertamente nossas vidas sexuais, para a alegria de todos, nós simplesmente comentamos sobre todo um estilo cinematográfico cult nipônico que sugere sexo de forma muito classuda. Bem, não dá pra ser muito classudo quando você tem um lápis enfiado na testa e é estuprado pelo dedo do presidente Bush, mas eles fazem o possível. Dêem crédito aos caras. Aprenda conosco que Emanuelle não é o máximo de sexo simulado que você que tem 13 anos pode ter acesso. Existem formas muito mais intensas e criativas de fazer isso.

Trilha: midori – Shinsekai

(01:31:22-01:55:07) Review: The Glamurous Life of Sachiko Hanai

Primeiro a teoria, depois a prática. Geralmente temos uma opinião muito forte sobre as obras que resenhamos. Mas pela primeira e espero única vez, você nos verá completamente pasmos. Não dá pra saber o que achar desse filme e o único ponto que concordamos é que transar filosofando deve ser muito divertido. Filosofia pelo menos nós conhecemos e sabemos que é ótimo. O resto nós conseguimos imaginar muito bem. Esse mundo de hoje em dia é tão sexualizado. Todo mundo só fala disso. Então tente ter uma opinião a respeito da adorável Sachiko Hanai e seus dilemas éticos profundos. Nos conte depois. Não conseguimos lembrar mais do filme e não vamos ver de novo nem por um caralho. Acho que nunca usamos palavrões no texto antes. Uma primeira vez pra tudo.

E esse é o JCast voltando à sua regularidade! Mas hoje não estou com paciência pra escrever muito, então mandem emails para [email protected], e até semana que vem, agora de verdade!

I Put A Spell On You

JCast #135

Rant: Doctor Who, Beijo Lésbico e Bronca com o George R. R. Martin
Review: Kuchu Buranko
Station: Erika Sawajiri

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan, Ryo, Marcos, Pincher e Leo Kusanagi

21 de Maio está chegando. Eu realmente não tenho tempo de procurar exatamente o motivo, mas dizem que o mundo acaba nessa data. O que foi, 2012 não estava bom o bastante? Os Cavaleiros do Apocalipse e conspiradores de plantão tornaram-se hipsters e resolveram que o ano original ficou muito mainstream? Perguntas que jamais terão respostas, ainda mais se o mundo acabar mesmo. E é por causa dessa dúvida cruel que vocês têm esse Jcast sendo lançado no meio da semana. Tá, talvez a vontade de compensar pelos atrasos e retomar o cronograma certo de lançamentos tenha seu papel na coisa toda, mas fatos reais não são divertidos o bastante e não me ajudam a matar esse parágrafo chato. Nessa edição as coisas começam a ensaiar uma normalidade, dentro dos nossos padrões anormais. Ecos do passado se manifestam no casting, só pra não ser muito dramático, e apresentamos um review de uma série completa, coisa que essa atual temporada gigantesca de primavera não deixava acontecer. E ainda temos um station da fofoca, se metendo na vida da tadinha Erika Sawajiri, que não tem culpa se não teve um bom modelo materno ao crescer. Sim, eu ponho a culpa na mãe dela, a Lady Gaga pode dizer o que bem entender, mas ninguém nasce quebrado desse jeito.

(00:00:37-00:21:23) Rant: Doctor Who, Beijo Lésbico e Bronca com o George R. R. Martin

Uma pena que o primeiro beijo gay de uma novela brasileira tenha sido enclausurado em um texto horroroso do Tiago Santiago. E que seja uma novela do SBT que ninguém assiste. E que seja com duas gostosas, então ninguém ficou chocado de verdade. Eu quero que o segundo beijo gay seja masculino. Um dos caras deverá ser negro, judeu e ter 18 anos. O outro deverá ser o Antônio Fagundes. Impossível isso ser o fetiche de alguém. Interessante é que você pode ver uma cena de sexo novelesco completa no Youtube, mas pro beijo lésbico rolou um disclaimer básico de idade. Pois você pode ter 9 anos e ver sexo, mas Luciana Vendramini sapatão já é demais. De todo modo, isso só não é tão revoltante quanto os livros do nosso George R.R Martin. Quando você é um pré-adolescente nerd, você adora dizer que leu um livro de 1000 páginas, desde que este não seja a bíblia. Mas quando você é um adulto, ainda que só fisicamente, você não tem tempo pra isso. As 1000 páginas têm que ser necessárias. Muita pachorra do Martin em entregar os tijolões como se você não tivesse mais porra nenhuma pra fazer. Acho bom que cada uma dessas árvores mortas por seus livros, Sr. Martin, não tenha se sacrificado em vão. Uma árvore fica feliz ao morrer em nome da boa literatura. Ah, falamos sobre Doctor Who. Fodástico, não preciso complementar.

Trilha: Picky Picnic – Ha! Ha! Tarachine

(00:22:05-01:05:13) Review: Kuchu Buranko

Todos nós temos problemas – e se você escuta o JCast, tem mais do que o normal. Então vai ser quase impossível não se identificar com 1, 2 ou 11 (na falta de mais episódios) problemas apresentados nessa série. Mas afinal, que bicho você viraria? Pesquisa surpresa, pra testar se alguém lê nossas descrições dantescas: que bicho Darko e Laivindil virariam ao tomar a injeção do Doutor Irabu? Respondam nos comentários.

In the Pool – BookDepository

Trilha: Hideharu Mori – Kuchu Buranko OST

(01:05:56-02:02:56) Station: Erika Sawajiri

Erika Sawajiri poderia tomar umas aulas com a Britney Spears ou com a Lindsey Lohan sobre como afundar com força e levar a carreira junto. Digo isso pois a japonesa nem é tão doida, ou má artista como suas contrapartes desorientadas americanas. Mas a mídia japonesa consegue ser mais escrota que a nossa. Eles precisam ter seus escândalos. Sai a cocaína e flashes desavisados da perseguida e entram algumas palavras rudes em um festival. Mas ainda assim. Claro que por conta da paranóia, acompanhar a decadência de idols japonesas acaba sendo até mais divertido. Claro que ajudaria a ser menos anticlimático se tudo não se resumisse a adultério e um cigarrinho. Queria ver essa mortal combinação: uma idol japa realmente descompensada, mais a mídia exagerada deles. Seria o 21 de maio. O apocalipse, para quem ainda não entendeu a referência.

E a campanha para colocar o JCast em dia continua! Agora falta pouco, e se tudo der certo vocês terão um novo JCast bem antes do que esperam. Enquanto isso, mandem emails para [email protected] e sejam felizes. Até semana que vem!

JCast #130

Rant: Rebecca Black e Guerra dos Tronos
Review: Royal Space Force: The Wings of Honneamise
Feedback: Vivian R, Rodrigo MSN, Ananias Lopes, Rodrigo Capucho, Raphael Soma e Doraemon

Participantes: Darkonix e Laivindil

O resto do mundo parece ter murchado nos anos 80. Todos estavam preocupados demais em manter seus cabelos volumosos e suas ombreiras no lugar e ninguém se importava muito com bom entretenimento e música de qualidade. Eles estavam pensando no futuro, lógico. Se não fossem nossos queridos companheiros de mullet, hoje não nos divertiríamos tanto com a nostalgia das produções da época, ao mesmo tempo em que agredecemos aos céus o fato de que não vivemos mais naquela década de merda.Lógico que nem tudo foi cocô nos anos 80: para muitos, ali aconteceu o auge da animação japonesa. Por mais limitadas e presas ao passado que essas pessoas sejam, seus argumentos não são de todo vazios: muita coisa que aconteceu nos anos 80 definiu gêneros e estabeleceu padrões até hoje não superados. Hoje falaremos um pouco sobre uma dessas produções seminais, além de colocarmos em dia a fofoca com os ouvintes e leitores do blog. Curtam essa edição, enquanto eu fico torcendo para que mini-blusas masculinas jamais sejam moda de novo.

(00:00:33-00:09:48) Rant: Rebecca Black e Guerra dos Tronos

Foi primeiro de abril e nós não postamos nenhuma notícia mentirosa. Grandes poderes geram grandes responsabilidades. Somos tão influentes no nicho otaku nacional, que qualquer comentário jocoso nosso poderia se tornar verdade instantaneamente. Isso é perigosíssimo na nossa mão. Bastaria apenas uma notícia mentirosa para que tivéssemos AV’s de manhã ou Saber J na Tv Globinho. Muitas crianças jamais se recuperariam do trauma. Melhor deixar isso para sites mais profissionais e menos influentes. Ah, e tentem ler Crônicas de Gelo e Fogo antes da série da HBO. Só se lembrem de comer entre os capítulos, para que não morram de fome. E lembrem que toda a complexa mitologia ali descrita não cai no vestibular. Não se esforce muito.

Sério? Devora essa merda com a Wiki aberta do lado, é muito mais interessante do que qualquer coisa que te ensinarão na escola. Parafraseando Craig Ferguson: Pais, aguardamos ansiosos as suas cartas.

Trilha: Rodrigo y Gabriela – Rodrigo y Gabriela

(00:10:15-01:00:30) Review: Royal Space Force: The Wings of Honneamise

Como eu dizia lá em cima, se você ainda estiver acordado, os anos 80 produziram várias boas coisas e uma delas foi o estúdio Gainax. Fale o que for da atual produção do estúdio, mas o fato é que eles começaram de uma forma peculiar: somos jovens, somos fãs, não temos distrações sexuais, ganhamos uma nota preta da Bandai, vamos fazer um fucking filme! E esse longa é Wings of Honneamise. Nem todos podem estar tão apaixonados assim por seu trabalho. Às vezes o julgamento do autor fica prejudicado. Esse anime prova, no entanto, que nem sempre dar total controle de uma produção a um bando de loucos é uma coisa ruim. Às vezes a gente tem um Sucker Punch da vida, mas faz parte. Coloquem seus capacetes, entrem em seus módulos espaciais prestes a explodir, esqueçam a fé nos bons valores da humanidade e ouçam o podcast. Não tem que ser nessa ordem, como sempre. Você pode até pular a última parte.

http://www.youtube.com/watch?v=XFGo041te08

Trilha: GO!GO!7188 – Go!!GO!GO!Go!!

(01:00:52-01:47:46) Feedback

Parental Discrection is Advised. Não, sério. Você não está entendendo. Enquanto outros podcasts tentam manter seus blocos de e-mail bem contidos e concisos, já que é a parte mais chata para muitos, nós enfiamos no seu rabo 50 minutos deles. E nem tem tantos e-mails assim. Adoramos tanto o som da nossa voz. A única coisa que gostamos mais, é o som da nossa voz enquanto jogamos fora qualquer traço de dignidade. Claro que você sai ganhando, já que TODOS ADORA o Jcast produzindo momentos de vergonha alheia. Claro que nem tudo são flores. Nós também comentamos certas coisas muito sérias e colocamos um ponto final em um dos maiores mistérios do podcast. E não estou falando de nossa sexualidade.

Com os emails de Vivian R, Rodrigo MSN, Ananias Lopes e Rodrigo Capucho, além dos comentários de Raphael Soma (nbm²) e Doraemon.

Trilha: Janne Da Arc – Z-HARD

A gente não estava bêbado nesses emails. Muito menos usamos de drogas ilícitas. Oxigênio já o suficiente para nos inebriar. Mandem seus emails e mais desenhos do Exú Caveirinha (recebemos alguns) para [email protected], e nos visite em www.jcast.com.br caso estejam nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

01:28:14-02:06:26

JCast #129

Rant: Novelas e Rebelde Brasil
Papers: Yuru-Kyara
Review: Hebi ni Piasu (Cobras e Piercings)

Participantes: Darkonix e Laivindil

Boom, Boom, Boom, let me hear you say way-ooh!!! Março vai embora, e mesmo de luto por sua partida, batemos nosso ponto semanal aqui no JCast. Como 2011 está indo para vocês? Se seu emprego é vestir uma enorme e felpuda fantasia ridícula e ficar rebolando por aí independente da estação do ano, não precisa responder. É óbvio que seu 2011 deve estar uma total e completa MARAVILHA! Não deve existir nada mais divertido. Além do mais, ninguém te reconhece. Você pode inventar que trabalha fazendo coisas chatas atrás de um balcão chato. Mal sabem eles que tudo o que você quer é correr de volta para sua fantasia que cheira a mofo, cerveja, urina e tem extremidades queimadas de cigarro. E é aproveitando esse clima decadente oculto por trás de uma aura de bem-aventurança que introduzimos o “Cobras e Piercings”. E é aproveitando esse título de novela das sete que nós ainda discutimos várias bobagens envolvendo novelas. E o círculo se fecha. Fora da ordem cronológica. JCast subvertendo e criando fendas no espaço-tempo.

(00:00:38-00:20:30) Rant: Novelas e Rebelde Brasil

Anahí deve estar se revirando no túmulo. Ou estaria, se estivesse morta. Calma, deixa eu ver isso no google… Ok, ela está viva. Reformulando: Qualquer membro morto da produção de Rebelde deve estar se revirando no túmulo. Sim, os vivos devem estar muito felizes e cheios da grana. A Cris Morena, argentina que bola essas novelas que duram 5 anos e têm músicas no meio, não tem nada pra reclamar. Só fã idiota mesmo. De qualquer forma, se você ainda vê novela, comece um processo de reabilitação urgente. Comece trocando novelas brasileiras por portuguesas. Vai doer, mas é por uma boa causa.

JWave #40: Dragon Ball – parte 1 (Com a participação especial do sumido do Luan!)
Anikencast #006 – Histórias de um Passado Animístico

Trilha: Ishii Akemi – Fanatique

(00:21:00-00:46:45) Papers: Yuru-Kyara

Leiam o post a respeito. Depois escutem o bloco que complementa o post e até contradiz. Não por algum exercício metalinguístico, mas por confusão mental mesmo. O JCast não acredita em coerência quando você vive num mundo incoerente. É o Caos do Raciocínio Livre. É todo um movimento nascendo enquanto digito essas palavras. É a sensação chata de já ter feito essa piada antes. É o desespero de já ter gasto várias linhas e nenhuma delas ter relação com o assunto o bloco. Enfim. Mascotes no Japão, seu simbolismo, sua importância, seu lugar na sociedade. Eles têm muito mais camadas do que você pode pensar a princípio. Não julgue um livro pela capa. E não imagine se o ator ali dentro está com ou sem cueca. Certas coisas demoram muito para sair do pensamento.

JCast – Fofos e Lucrativos
Wish you ARE here
Sento-kun X Manto-kun
Sento-kun Vs. 30 characters
Hikonyan

Trilha: GO!GO!7188 – Go!!GO!GO!Go!!

(00:47:15-01:28:53) Review: Hebi ni Piasu (Cobras e Piercings)

Primeiro presente que comentamos no podcast. O Beck_Nana mandou e como prometido, cá estamos analisando esse interessante e perturbador livro. Não é uma obra sobre sadomasoquismo. Mas falamos muito dessa parte, então pode gerar essa impressão. É que falamos também sobre a versão cinematográfica da obra, e a protagonista é muito bonita. Mais ainda com as mãos amarradas e choramingando. Fiquem calmos, é de mentirinha. Já vi fotos da atriz, após as filmagens, ela estava muito feliz. Se não foi de mentira, então ela gostou, é um caso de Win-Win. No mais, mergulhe de novo na insegurança de uma geração e em suas formas pouco ortodoxas de auto-afirmação. E não façam Split Tongue. Melhor colocar aqueles chifrinhos subcutâneos.

Trilha: Chara – Kiss

Trilha: Chara – Honey

Dezenas de edições depois e o JCast resolve voltar a tentar ser interativo, vamos ver quem vai entrar nessa. Mandem seus emails, desenhos do Yuru-Kyara do Exú Caveirinha nipônico e vídeos de sua visita ao Sebo do Messias para [email protected], e nos visite em www.jcast.com.br caso estejam nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

01:28:14-02:06:26

JCast #128

Rant: Obama no Brasil, jabá e a falta de Madoka Magica
Papers: Terremotos e a Arquitetura Japonesa
Trend: Grande Terremoto de Touhoku
Review: Tokyo Magnitude 8.0

Participantes: Darkonix, Laivindil, Sofia e Yohan

Timing perfeito. Mal comentamos sobre terremotos semana passada, como quem não quer nada, e acontece novamente. Dessa vez é só o maior da história. Só que por mais que queiramos nos preocupar, a calma dos japoneses é irritante. Queremos ver histeria, choro, perda e sofrimento. Não tem tom de voz apocaliptico que segure muito tempo o clima épico e sem esperanças que a mídia precisa vender. Infelizmente então, sobrou para nós do Jcast a missão de garimpar informações e tentar deduzir o que diabos realmente está acontecendo por lá, sem deixar de revisitar tremores antigos e de respeito. Todos sabemos que o Japão é todo voltado para essa coisa de respeito aos ancestrais. Nada melhor do que falar um pouco dos Terremotos-Sama de ontem, de hoje e de sempre. Pra fechar o ciclo, como temos TOC e tudo precisa ter a simetria narrativa perfeita, encerramos com o review de uma singela e tocante obra chamada Tokyo Magnitude 8.0.

(00:00:26-00:05:50) Rant: Obama no Brasil, jabá e a falta de Madoka Magica

Obama no Brasil, Yohan revoltado com a falta de Madoka Magica e ninguém se importa com as questões relevantes de verdade, como o absurdo que é o uniforme da Mulher Maravilha em seu novo Live Action. Pense em Power Rangers pornô.

Agenda Cultural 26 – O Proibidão
Revista Neo Tokyo nº 61

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1

(00:06:08-00:26:12) Papers: Terremotos e a Arquitetura Japonesa

Uma geral nos terremotos passados e na evolução forçada da arquitetura japonesa, cada vez mais preparada para os golpes baixos de Gaia. Eu amo meu planeta, acho ele muito sexy, mas quando o fofinho acorda de mal humor… nos lembramos que somos apenas grãos de poeira cósmica. JCast hoje está todo bicho-grilo.

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1

(00:26:35-01:08:48) Trend: Grande Terremoto de Touhoku

Uma grande tragédia se abateu no nosso querido Japão e os olhos do mundo se voltam apreensivos para o frágil arquipélago. Enquanto as emissoras de TV torcem por uma grande explosão nuclear, nós e o Nuclear Boy tentamos explicar que a coisa não é tão simples. Paradoxalmente, a coisa é até mais tranquila do que se pensa. Claro que no fim das contas podemos estar completamente errados, iludidos pela perfeita Poker Face dos nipônicos. Vamos torcer para não ser esse o caso.

Tsunami – Antes e Depois
FYI: How Does Nuclear Radiation Do Its Damage?
How Nuclear Reactors Work, And How They Fail

Doações
Cruz Vermelha Brasileira
Cruz Vermelha Americana
Exército de Salvação
Visão Mundial
GlobalGiving

Trilha: Yoko Kanno – Wolf’s Rain OST 1 e 2

(01:09:29-01:45:43) Review: Tokyo Magnitude 8.0

Esse é mais um anime do Noitamina e segura orgulhosamente a boa tradição desse bloco. Também está sendo reprisado atualmente no Japão, o que é uma grande ironia do destino. Para completar a temática catástrofe, a gravação em si desse podcast foi desastrosa. Por isso que a Sofia surge no começo, some, e participa rapidamente no final do bloco. Desculpe-nos Sofia. Provavelmente os deuses acharam que fomos longe demais. No geral, descubra conosco como um terremoto pode curar o aborrecente dentro de você.

Trilha: Koh Otani – Tokyo Magnitude 8.0 Original Soundtrack

Essa edição do JCast assumiu fácil, fácil o posto de mais conturbada, só não sendo superada pela vez em que eu tive dengue. Pelo menos combinou com o clima de catástrofe. Ah, pra quem está se perguntando, a música no final é Kimi de ite, Buji de ite, composta e cantada pela insuperável Yoko Kanno, para arrecadar fundos e doar pra quem tá precisando. Mandem emails para [email protected], nos visitem em www.jcast.com.br caso estejam nos ouvindo na Kombo e até semana que vem!

01:28:14-02:06:26

JCast #127

Rant: Charlie Sheen, Sitcoms e Gnomeu e Julieta
Review: Perfect Blue
Goes Off: Black Swan
Goes Off: Bonus Track – Oscar 2011

Participantes: Darkonix, Laivindil e Valéria Fernandes

Os Oscars já se foram mas ainda podemos sentir seu cheiro. Esse especial poderia ter saído antes, mas se nós estivéssemos em dia com as tendências mais modernas perderíamos nossa identidade. Assim sendo, hoje fazemos esse confronto de Titãs. Perfect Blue do saudoso Satoshi Kon e Cisne Negro do ainda não saudoso Darren Aronofsky. Será que um é remake/imitação descarada/homenagem do outro? Para nos ajudar a descobrir esse enigma convidamos a Valéria do Shoujo Café e do Shoujocast. O papo rendeu tanto que até ganhamos um bloco extra/não planejado/super-em-voga-com-os-assuntos-do-momento-pra-variar. Como o dia está corrido e tem episódio atrasado de Madoka Magica pra assistir, vamos direto aos negócios.

(00:00:33-00:16:26) Rant: Charlie Sheen, Sitcoms e Gnomeu e Julieta

Charlie Sheen é um exemplo. Se você quer destruir sua vida, esse é o caminho. Não tem que ser tudo tão deprimente e chato. Acompanhar estrelas decadentes na TV já não era mais divertido, até que Sheen chegou para revitalizar o conceito. É basicamente o que indústria já faz com seus remakes e relançamentos. Em breve faremos a mesma coisa. Sairemos falando qualquer merda que vier na cabeça, faremos alegações que beiram a ilegalidade e daremos vexame no podcast dos outros.

Ahn… ops.

PS: NÃO assistam Gnomeu e Julieta. E nem é por causa do Briggs.

Trilha: The Legend of Zelda – Ocarina of Time OST

(00:17:10-00:46:51) Review: Perfect Blue

Não se fala em outra coisa essa semana. O trágico terremoto no Japão está repercutindo pela mídia mundial, e sem querer falamos um pouco de terremotos nesse bloco. Não desse último, já que gravamos isso um pouco antes. A primeira obra-prima de Satoshi Kon só saiu como a conhecemos graças a um terremoto. Descubra nesse bloco como será o futuro de todas as 48 meninas do AKB.Aliás, essa seria uma trama perfeita para Perfect Blue 2.

Trilha: Perfect Blue – Original Soundtrack

(00:38:58-01:06:15) Goes Off: Black Swan

Algumas pessoas têm visto esse filme mais de 30 vezes. Será que ele é muito bom, será que demora pra entender, ou será que a cena de sexo entre a Portman e a Kunis é tão boa que merece ser apreciada muitas vezes para que decifremos seus significados ocultos? Bom, nenhuma dessas respostas é dada aqui, mas fazemos nossa análise habitual. E se geralmente conseguimos ir fundo até falando sobre as bochechas siliconadas da Joan Rivers, imagina com esse tema. Obviamente, como Aronofsky não está aqui para se defender, não acredite em nada que não tenha sido confirmado por ele antes. Caso não consiga encontrá-lo, fique com nossas opiniões. Elas são mais legais até pra se discordar.

(01:11:10-01:27:45) Comparação Perfect Blue X Black Swan, com alguns spoilers

Perfect Blue / Requiem For A Dream Bath Scene Comparison
Black Swan VS Perfect Blue
I Just Want to be Perfect

Trilha: Clint Mansell – Black Swan OST

(01:28:14-02:06:26) Goes Off: Bonus Track – Oscar 2011

O MTV Movie Awards é muito mais divertido. Era né, até Crepúsculo chegar e ficar ganhando todos os prêmios. Daí depois dizem que o Oscar é mais sério. Pessoas esquecem que no Oscar também são os mesmos filmes de sempre que ganham. A diferença é que ao invés de adolescentes histéricas votando temos velhinhos conservadores. De que lado você está? Te ajudamos a decidir nesse breve comentário sobre as aventuras e desventuras da cerimônia este ano.

Trilha: Sondre Lerche – Phantom Punch

Curioso comentarmos rapidamente sobre o até então catastrófico terremoto de Kobe nessa edição e poucos dias após a gravação acontecer esse desastre de Magnitude 9. Se o bater das asas de uma borboleta de um lado do mundo pode gerar um furacão do outro, é melhor tomarmos mais cuidado com nossas palavras daqui pra frente, antes que acabemos por destruir o Japão. E o resto do mundo também, dada a quantidade de besteira que a gente fala. Aliás, já que toquei no assunto, quem quiser ajudar pode doar para:

Cruz Vermelha
Exército de Salvação
Visão Mundial
GlobalGiving

Todos via cartão crédito internacional ou PayPal. Ah, você também pode comprar a pulseirinha “We Pray for Japan” da Lady Gaga, mas a grana que você vai gastar de frete teria melhor uso se adicionada à sua doação. Já quem quiser ajudar o JCast, mandem emails para [email protected], e nos visite em www.jcast.com.br, caso esteja nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

01:28:14-02:06:26

JCast #126

Rant: DD Hokuto no Ken e Justin Bieber
Review: Puni Puni Poemi
Review: Okuribito
Review: Puni Puni Poemi

Participantes: Darkonix e Laivindil

Brrrrr. Friozinho começando aqui na região sudeste, nem vou falar muito senão o capeta escuta e manda o calor voltar. Não sei quanto ao resto do país, mas aqui estávamos precisando que nosso querio Hórus nos desse uma folga. E aí galera, tudo sussa com vocês? Final de semana de carnaval, olha só. Pra nós do Jcast isso significa mais tempo para colocar nosso entretenimento em dia. Entre guilty pleasures, séries e livros que estão na espera há muito tempo e estréias surpreendentes, sempre sobra tempo pra gravar mais um episódio do podcast. Percebam como em nenhum momento eu mencionei “trabalho”. Essa é aquela parte chata e inevitável, como o sono, que existe e está lá, mas não merece ser mencionada. Estamos trabalhando em revolucionárias formas de eliminar tais obstáculos. Ambos. Queria muito que café com coca-cola também ajudasse na questão do “trabalho”. Enquanto fazemos testes a esse respeito, ouçam-nos ir mais a fundo na cultura japonesa do que nenhum homem bem resolvido jamais foi.

(00:00:30-00:16:02) Rant: DD Hokuto no Ken e Justin Bieber

Justin Bieber cortou o cabelo, não ficou com cara de homenzinho mas valeu a tentativa. Uma coisa porém ele conseguiu: perdeu 80.000 seguidores no twitter.E não deve ser só mulher, tenho que dizer: e todos os playboys que mantinham um corte idêntico, que assumiram o secador e a chapinha como partes de seu masculino dia-a-dia, o que eles farão agora que tal corte vai sair de moda? E todos aqueles que pegaram tiques nervosos jogando seus cabelos para o lado? Eles farão o movimento, mas a franja não estará mais lá. Enquanto tentando decifrar como ficará o futuro da humanidade depois disso, podemos nos distrair com Hokuto no Ken em flash. Melhor do que o filme gringo, pelo menos.

Anikencast #005 – Otaku no Video

Trilha: The Cardigans – Been it/Lovefool

(00:16:49-00:38:33) Review: Puni Puni Poemi

Esse OVA não causa epilepsia como o episódio do Pokemon ou o clipe novo do Kanye West, mas é elétrico o suficiente. Fizemos uma experiência aqui: será que conseguiríamos falar mais rápido do que a Poemi? Infelizmente não deu muito certo. Foi tentado então um truque de edição, mas ficamos com medo de que todos pensassem que o Alvin estava apresentando o podcast. Oficializamos nossa derrota: Poemi consegue soltar mais referências por minuto do que nossos hosts jamais serão capazes de fazer. Isso é humilhante. No mais, embarque conosco nesse incrível e divertido anime.

Trilha: Puni Puni Poemi – Absolute Last CD

(00:38:58-01:06:15) Review: Okuribito

Oscars foram entregues semana passada e muita gente esquece que recentemente o Japão levou um pra casa. Summer Wars não conseguiu sua indicação esse ano, então o filme de 2008, A Partida aqui no Brasil, continua dono invicto do título. Tema um pouco macabro né. Corpses. Pela primeira vez falamos de cadáveres de verdade aqui. Não os que foram violentamente destroçados, ou os que ainda estão andando por aí. São corpos. De gente. Gente Japonesa. E que estão mortos mesmo, sem possibilidade de retorno. Não tem necromancer aqui não, meu velho. Por isso mesmo somos forçados a pensar nela. Ah vamos, vocês sabem. Não quero dizer… Ok…Na senhora Morte. Quem está de bem com ela levanta a mão. Enquanto isso, vamos analisar se essa singela produção mereceu ou não a estatueta.

Trilha: Okuribito Original Soundtrack

(01:06:58-01:21:50) Review: Puni Puni Poemi

Quando uma paródia cruza a linha do mal gosto? O que você curtia aos 13 anos sobrevive ao teste do tempo? Esse OVA protagonizado pela Loli mais faladeira do universo é um bom começo para analisar tais questões. Infelizmente não conseguimos falar tanto como a Poemi, mas pelo menos falamos coisas mais interessantes. Admitam: vocês trocariam qualquer piada japonesa sem graça do início do século por apenas uma de nossas confissões constrangedoras.

Trilha: Puni Puni Poemi – Absolute Last CD

Vocês sabem o que carnaval significa? Família toda na praia e o Darko sozinho em casa, consumindo entretenimento e curtindo o silêncio e a total ausência de seres humanos! Fiquem felizes por mim, mandem emails para o [email protected], e visite o www.jcast.com.br, caso você esteja nos ouvindo na Kombo. Até semana que vem!

JCast #123

Rant: Postes, Economia Doméstica e Reality Shows Fúteis
Station: Majisuka Gakuen
Review: Lily Chou-Chou no Subete
Feedback: Matheus Marvila, Vivian R, Felipe Sales, Adriano Firefox e Tanko-chan

Participantes: Darkonix, Laivindil, Ryo e Sasukerk

Saludos companheiros Jcaddict´s (isso foi bobo, mais que o normal, mas acreditem, “Família Jcast” teria sido bem pior. Agradeçam-me depois por isso) nunca na história desse podcast nós sentimos tanto a música em nossas veias. Mais ou menos. O Station retorna triunfante em nosso novo formato 3.0, falando sobre AKB48, eu sei, mas sobre o Dorama que estão fazendo. E o episódio continua com o review de um filme sobre uma cantora, que mal aparece em cena. Ou seja, é o Jcast de música pra quem não curte música, mas que ao mesmo tempo não deixa pra baixo quem curte. Alguns podem nos acusar de propaganda enganosa, mas pelo menos estou deixando nossas intenções bem claras (tequilas) nessas linhas. Se vocês não ficarem satisfeitos, prometemos o lançamento extraordinário de um complemento, trazendo todo o elenco do Jcast discutindo qual membro do Arashi está estrelando o quê essa semana, e qual integrante do AKB48 tem mais chances de ser flagrada sentada no colo de um senhor ligado ao parlamento em uma casa de pachinko. E agora eu encerraria fazendo (mais uma) piada sobre a semelhança das integrantes mas não farei isso. E como não tenho outra zoação melhor pra fazer com elas, fecho o parágrafo com o randômico e recém-googlado provérbio japonês: “Se quiser conhecer um cavalo, conviva com ele; se quiser conhecer uma pessoa, monte nela.” Ou algo assim.

(00:00:33-00:11:05) Rant: Postes, Economia Doméstica e Reality Shows Fúteis

Sem muito a acrescentar aqui. Pode contar spoilers e quero que peguem todas as nossas realizações espirituais em primeira mão, sorvendo conosco o êxtase espiritual vindo de programas ruins de tv e semanas sem sexo. Ou meses. ANYWHOW. Um aviso apenas: estamos vendendo formatos para reality shows. Saca só: pessoas desconhecidas em dupla com pessoas famosas, competindo em gincanas bem criativas, como aquela corrida com a colher na boca, tendo um ovo equilibrado na ponta. A pessoa desconhecida perdedora tem então que se submeter a uma plástica com o Dr. Rey, que transformará seu rosto no da pessoa famosa da dupla ganhadora. Então o famoso verdadeiro e o falso têm que morar juntos em um banheiro de bar filmado 24 horas por dia, vestindo as mesmas roupas e sem poder falar nada. As pessoas de casa então votam pra saber quem é o verdadeiro. O escolhido passa então a ser o dono oficial daquela identidade, e o outro é sacrificado em praça pública. Por questões legais, esse programa será filmado na China.

Trilha: Pierrot – Nounai Morphine

(00:11:39-00:41:41) Station: Majisuka Gakuen

Imagino que muita gente, assim como eu, tenha muito interesse em saber mais sobre as AKB. Ou não, talvez seja apenas uma patologia minha, não sei. De qualquer forma, são muitas garotas, o que nos confude e nos dá aquela preguicinha de saber quem é quem. Então o que seria melhor pra entrar nesse universo do que assistir um dorama que pega todas essas meninas fofas e as bota pra lutar em brigas de gangues colegiais? Nesse bloco o pessoal do JStation disserta sobre essa pérola da televisão japonesa. Sério, só japoneses pra pensarem nisso. Temos essas garotas fofas aqui, e todo mundo as ama porque elas são fofinhas. Agora queremos fazer um dorama delas, qual a trama ideal? Óbvio, colocá-las pra brigar e sangrar, alguém tem alguma dúvida?

Enfim, um último adendo: a Nachu, que ilustra a capa desse JCast, é uma gordinha muito sexy quando não tá fazendo cara de delinquente-sem-pai-nem-mãe. Sério, procurem aí.

Trilha: AKB48 – Kamikyokutachi

(00:42:15-01:13:16) Review: Lily Chou-Chou no Subete

Esse belo filme pode deixar você um pouco confuso. Fique tranquilo, não se trata de adolescentes cantando. Pra variar. Mas usa a música para ajudar na metáfora. Aconselhamos que, se você é um adolescente raivoso, que não se encaixa e está revoltado com o capitalismo, que usa camisa do Che Guevara vetorizado e fuma marijuana como forma de alcançar um estado elevado de espírito, não ouça esse review. Primeiro porque não queremos você aqui. Segundo porque o review pode levá-lo a assistir ao filme, que pode levá-lo ao suicídio. Não por causa dos profundos temas que ele aborda, mas porque a sua mente danificada pela erva não vai conseguir entender um segundo sequer da película. As nossas mentes danificadas apenas por pornografia underground, chocolate e batata frita com sorvete quase que deixam passar muita coisa. Agora, se você é normal como nós (Oi-q) curta essa viagem profunda pelos trevosos anos de sua juventude, quando você autistava em campos de arroz, com seu discman embaixo do braço, ouvindo variações pop do som de Debussy. Viram só, adeptos de marijuana e santo daime? Isso é ser alternativo. E você ainda tem a opção de morrer de velhice.

Trilha: Lily Chou-Chou – Kokyuu

(01:14:12-01:55:33) Feedback

Com os emails de Matheus Marvila, Vivian R, Felipe Sales e Adriano Firefox, e o comentário da Tanko-chan do Blyme.

Trilha: Pierrot – ID Attack

E esse foi o JCast 123, somos trigêmeas sim. Resolveu mandar email? O endereço é [email protected]. Tá ouvindo da Kombo? no www.jcast.com.br temos notícias semi-diárias e posts esporádicos em nosso blog. Até semana que vem!

JCast #122

Rant: Deixe-me entrar, Tokusatsu e “nerds”
Papers: Márcio Reginnette e Sailor Moon em DVD no Brasil
Review: Kuragehime

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan e Márcio Reginnette

Semana cheia e JCast cheio para todos vocês. O episódio dessa semana está suculento e variado. No menu, protestos acalorados que não servem pra nada, um interessante bate-papo com um convidado especial e um review, que é basicamente o que fazemos sempre, mas está aqui pra dar aquele gostinho familiar e não alienar o “paladar auditivo” (OUCH) de nosso público. Essa expressão foi cunhada no âmago de meu ser, e faz muito sentido. Se pessoas de fato podem comer coisas pelos olhos, porque não pelos ouvidos? Comer informação pelos ouvidos: isso tem potencial. Enquanto tento miseravelmente introduzir esse podcast, acabo criando uma poesia de adolescente trevoso. Com um certo verniz, pode se tornar minha tese do mestrado de ciências ocultas e letras apagadas. E é melhor seguir em frente com isso antes que entregue na forma de piadinha sem graça uma idéia valiosa de verdade.

(00:01:28-00:21:57) Rant – Deixe-me entrar, Tokusatsu e “nerds”

De tanto falarmos sobre transgender kids nesse podcast, elas estão vindo até nós. Eu deixo claro aqui: já era fã de Deixe Ela Entrar antes mesmo de descobrir que o “Ela” foi “Ele”, duzentos anos atrás. Sem contar que essa nova versão americana não deixa tão implícito assim. Então antes que nos acusem de fazer propaganda transsexual infantil oculta, saibam que vimos o filme apenas por gostarmos muito de vampiros. E Vampiras. E vampirinhas. E Vampirinhas que na verdade são vampirinhos castrados. Ah, e claro que nosso raciocínio hoje está all over the place. Falamos sobre outros pontos relevantes na semana, como a incrível cobertura que um grande podcast fez sobre uma paixão particular nossa. Incrivelmente rasa e supérflua, mas o que vale são as risadas certo? Como o riso é emocional e social, basta ouvirmos alguém rir muito da própria piada que rimos junto. E no final do dia é isso que importa. Abre os poros. Faz um bem, menina.

JWave
R5 Central

PS: Não falamos de todos os pontos relevantes, lógico. Não encontrarão aqui nenhuma menção à crise política no Egito, mesmo porque só descobri que eles estão com problema ontem, assistindo Saturday Night Live.

Trilha: Ken Hirai – Fakin’ Pop

(00:22:29-00:56:27) Papers: Márcio Reginnette e Sailor Moon em DVD no Brasil

Márcio Reginnette, diretor da CD & DVD Factory nos concedeu essa entrevista para acalmar os ânimos dos fãs de anime de todo o Brasil. Para quem não sabe, a empresa supracitada lançará Sailor Moon S em DVD no Brasil, ou seja: todo mundo que adora especular sobre a situação do anime no país está em polvorosa. Eles não tinham assunto para alimentar suas especulações há uns cinco anos. E agora é pra valer! O produto está saindo do forno e tentamos perguntar tudo aquilo que você quer saber sobre o lançamento. Quase tudo. Queríamos mesmo é ter entrado num assunto que me corrói desde que assisti a primeira temporada de Sailor Moon na Manchete: Afinal, o cabelo da Serena é ou não é TOTALMENTE IMPOSSÍVEL DE SER FEITO NA VIDA REAL? Ele não faz sentido e me perturbou por muito tempo. Mais até do que a semelhança entre a Serena de cabelo solto e a Mina.

A pesquisa do SOS Sailor Moon citada por Márcio, com as vozes que ele tentará trazer caso ocorra uma redublagem.

Trilha: Sailor Moon – Memorial Song Box Disc 1

(00:56:58-01:34:32) Review: Kuragehime

Seguimos com nossos highlights da temporada passada. O que já se foi, você não percebeu, mas não pode perder. A escolhida essa semana foi Watashi wa Aguri Betty. EXCEPT NOT. A Princesa Água-Viva não é uma criação resgatada do Monteiro Lobato, nem a mais nova personagem das Princesas do Mar. É um anime feito pra divertir e pra pensar também. Uma jóia rara que você destrincha com a gente.

Trilha: Chatmonchy – Awa Come

Trilha: Sambomaster – Kimi no Kirei ni Kizuite Okure

Ufa, essa semana foi realmente cansativa! Bem, já sabem, o email é [email protected], na próxima semana deve rolar um bloquinho de feedback. Pra quem acompanha pela Kombo, nosso endereço é o www.jcast.com.br, com notícias (que se tornarão mais frequentes quando Laivindil e Yohan resolverem postar) e blog. Até semana que vem!

JCast #119

Rant: Retirada da Sociedade e Rapunzel
Review: Panty and Stocking With Garterbelt
Trend: Lei 156 de Tokyo

Participantes: Darkonix, Laivindil, Yohan e Tanko

O clima no mundo editorial japonês está tenso e aqui chegamos para colocar o dedo na ferida, já que não apoiamos qualquer tipo de censura. Mesmo porque, se apoiássemos, estaríamos cometendo blogcídio. Imagina se nossos governantes acham a lei 666 dos japoneses bonitinha e resolvem aplicar igual? Não existe nenhum parágrafo daquele texto que possamos usar em nossa defesa. Porque você acha que não existia Jcast durante a ditadura, por exemplo? Liberdade de expressão é um de nossos pilares. A liberdade sexual seria outro, mas não faz diferença. Temos que arrumar pessoas sexualmente disponíveis primeiro, para que sejam liberais conosco. Mas antes que o papo fique tenso a esse ponto, a gente relaxa com Panty & Stocking, título recente da Gainax que deu o que falar. E que só existe por causa dessa mesma liberdade. Também não tinha Panty & Stocking durante a ditadura. Olha o padrão aí.

(00:00:26-00:07:59) Rant: Retirada da Sociedade e Rapunzel

Muitos homens santos vivem recolhidos da sociedade, na Índia e em outros lugares. Você pode se recolher até pra debaixo da sua cama. Não que o Jcast apóie a criação de Hikikomoris. Esses são só covardes e servem para nos divertir com as histórias baseadas em suas vidas, ou nos dar boas notas quando nossa tese final de psicologia é baseada neles. Estamos debatendo aqui a possibilidade real e madura de escolher trocar o mundo vazio e depressivo por uma vida mais saudável focada dentro de você mesmo. E ficar assistindo vídeos de cirurgia no Youtube não adianta, já que a internet em si é parte integrante de Maya, a ilusão material. Se por acaso não estivermos aqui semana que vem, é porque não tem computador no monastério. Ah, e o Darko viu Enrolados. Não faz diferença. Para empolgar, o filme deveria se chamar “Rapunzel”, ser em 2D e ter músicas que grudariam no cérebro pra sempre.

Trilha: TCY FORCE – Panty and Stocking With Garterbelt OST

(00:08:35-00:39:12) Review: Panty and Stocking With Garterbelt

Os desenhos americanos têm ficado cada vez mais plásticos e sem vida. A animação chapada e estilizada ao extremo pode ser engraçada e funcionar, mas odeio monopólio. Quando você liga no Cartoon Network e só tem isso passando você sinceramente sente saudades de Punky ou Denver. Então nos deparamos com japoneses tentando seguir a mesma estrada. Mas será realmente a “mesma”, ou por trás das aparências existe uma planejada e bem executada homenagem à própria história da animação? É como ouvir Jcast: sua percepção muda de acordo com o nível de álcool em seu sangue.

Trilha: TCY FORCE – Panty and Stocking With Garterbelt OST

(00:39:52-01:30:09) Trend: Lei 156 de Tokyo

Com a ilustre participação da Tanko, blogueira do Blyme Yaoi e uma das participantes do Shoujocast, comentamos um pouco em cima da mais recente bomba do governo japonês. Não, nenhum primeiro ministro renunciou de novo. Estamos falando do perigo de se eleger um líder de estado com problemas sexuais. Deveria existir uma lei, que impedisse que os políticos criassem leis baseadas em seus traumas de infância. Por isso, por exemplo, se um de nós deste podcast um dia se candidatar, por mais que peçamos ou imploremos, NÃO votem em nós.

Trilha: Chara – Junior Sweet

Vocês já sabem o nosso email: [email protected]. Beijo nas criança, e até semana que vem!

JCast #118

Ho-Ho-Ho, weeaboos brasileiros. Boas Festas atrasadas para todos. Voltamos com o Jcast 3.0, fresquinho pra todo mundo. Ainda mais fresco que o normal, pois estamos no clima natalino. E nosso especial atrasado traz duas obras mais do que aguardadas por nós e por muitos de vocês. À partir de agora blocos off-topic ficarão misturados com as edições normais, então ninguém precisa chiar. Jcast mais que nunca vira uma mãe. Cabe todo mundo, é só enfiar com jeitinho. Atravesse realidades alternativas montado em tubarões voadores, e tudo isso sem precisar de uma ajuda química externa.

(00:00:31-00:15:49) Rant: A Batalha do Apocalipse

Criticar uma obra conhecida e aclamada pelo apaixonado público geek brasileiro é algo complicado. Só de mencioná-la você pode ser apontado como oportunista. Se falar bem, está tentando puxar o saco. Se falar mal, está querendo criar polêmica. A questão é: o Darko está lendo o tal livro e não gostou do começo. Na hora da gravação ele estava animado, no entando, já que a obra melhorava a cada página. Então fizemos uma breve resenha sempre imparcial, como é nosso estilo. Você nos conhece.

UPDATE: Dois dias depois da gravação, o livro ficou uma merda de novo. Irreparavelmente.

Trilha: Daft Punk – Tron Legacy Original Soundtrack

(00:16:32-01:07:08) Review: Suzumiya Haruhi no Shoushitsu

A espera valeu a pena. Suzumiya Haruhi no Shoushitsu finalmente deu as caras no tracker ilegal mais perto de você, e nós corremos para assistir. Fica difícil fazer um review apropriado, quando nos distraímos tão facilmente com o ponytail da Haruhi, mas fizemos o possível. O anime já tem má fama o suficiente e não queremos piorar as coisas. Ao invés disso, apontamos alguns elementos que podem torná-lo mais palatável para o fã de Sci-Fi em geral. Vamos propor uma campanha: Haruhize seu vizinho! Apresente Haruhi pra pelo menos duas pessoas,e iremos dominar o planeta. Estou muito orgulhoso de nossa equipe. Pedindo ajuda pra uma franquia milionária se tornar (mais) conhecida, ao invés de implorar pela divulgação do podcast. Altruísmo é a nova tendência.
(00:46:34-01:07:08) Spoilers do filme e da série

Trilha: Satoru Kousaki – Suzumiya Haruhi no Shoushitsu OST

(01:07:31-02:07:50) Goes Off: Doctor Who – A Christmas Carol

Pra quem ainda não assistiu Doctor Who, esse bloco funciona mais como um bonus track. Você pode pular, mas como não damos spoilers, talvez seja interessante que ouça. Pode te animar a ver a série, e esse episódio de natal é um one-shot perfeito pra te dar um gostinho geral. Só não imitem a Sofia, que viu toda a série de trás-pra-frente, enquanto plantava bananeira e tentava girar os globos oculares para enxergar o próprio cérebro. Você tem que aprender a fazer a coisa direito.

Ps: A frase final da Sofia virou toque de celular de nossos participantes.

Trilha: Murray Gold – Doctor Who: A Christmas Carol Soundtrack

É isso aí pessoal, estamos de volta! Mandem seus emails para [email protected], que teremos um bloco de emails sempre que der. Até semana que vem!